Notícias


Volume de declarações de retificação do IR surpreende Receita

Esse crescimento das retificações se deve principalmente ao fato de que, neste ano, a Receita colocou à disposição do contribuinte uma ferramenta que permite a ele saber o motivo que o levou a ficar na malha fina.

Brasília – O volume de entrega de declarações retificadoras do Imposto de Renda Pessoa Física, após a divulgação do último lote de restituições, está surpreendendo a Receita Federal. Segundo o supervisor nacional do Imposto de Renda, Joaquim Adir, desde o último dia 9, quando foi liberada a consulta ao último lote – que também permitiu aos contribuintes descobrirem se estão na malha fina -, mais de 55 mil contribuintes retificaram suas declarações, sendo que desde a última segunda-feira a média diária está na casa de 10 mil retificações. Até o dia 8, o volume diário de declarações retificadores entregues não chegava a 3 mil.

Embora não disponha de estatísticas, Adir afirmou que o volume de retificações desde o dia 9 é significativamente maior do que o verificado no ano passado, após a divulgação do último lote de restituições. Cerca de 900 mil contribuintes ficaram na malha fina este ano.

Malha fina
Segundo Adir, esse crescimento das retificações se deve principalmente ao fato de que, neste ano, a Receita colocou à disposição do contribuinte uma ferramenta que permite a ele saber o motivo que o levou a ficar na malha fina. O sistema também orienta sobre o que deve ser feito. Para tanto, basta entrar na página da Receita na internet (www.receita.fazenda.gov.br), clicar no link “IRPF – Consulta declarações entregues e restituição” e depois no link “Extrato Simplificado do Processamento”. Para fazer a consulta, além do CPF é preciso o número do recibo de entrega da declaração.

O supervisor do IR afirmou que o contribuinte que fizer a consulta na internet e, depois de rever sua declaração, não constatar nenhum erro apontado pela Receita, deve aguardar a convocação do órgão para prestar os esclarecimentos necessários.

Adir afirmou que não adianta o contribuinte se dirigir aos postos de atendimento do órgão antes de ser chamado porque estes não estão preparados para resolver o problema neste momento. O técnico da Receita está preocupado porque, ao mesmo tempo que o número de retificações aumentou, tem-se percebido aumento da procura de contribuintes nas delegacias de atendimento.