Notícias


Um ano de Dinheiro Rural

A revista do agronegócio brasileiro comemora seu primeiro aniversário e reúne empresários e políticos no Jockey

Por Ivan martins e marco damiani

Empresários do campo e da cidade e autoridades transformaram o Jockey Club de São Paulo na segunda-feira, 7, em um centro de debates do agronegócio do Brasil. O pano de fundo era a comemoração do primeiro aniversário da revista DINHEIRO RURAL, mas ali foram discutidos os problemas e as oportunidades do campo nacional. Cerca de 300 convidados compareceram ao almoço em que estavam o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, o governador do Distrito Federal Joaquim Roriz, o presidente da Comissão de Agricultura da Câmara Ronaldo Caiado e o secretário de Agricultura do Estado de São Paulo Antonio Duarte Nogueira. Entre as celebridades do meio rural, dois temas concentraram as atenções: a crise da aftosa e a queda da renda no campo. “É uma pena que a doença tenha voltado a atacar o nosso gado. Isso é um forte abalo em nossa economia que poderá levar anos para ser superado”, alertou o governador Roriz, que também é pecuarista. O clima, no entanto, era de otimismo. “Não é hora de colocarmos a culpa em quem quer que seja. É hora de olhar para a frente e trabalhar com mais afinco”, disse o secretário Duarte Nogueira. Para o ministro Rodrigues, o momento é delicado, mas não compromete o agronegócio brasileiro, considerado um dos mais competitivos do mundo. “Temos gente habilitada, tecnologia e terra. Por isso, ninguém vai nos segurar. Nem a aftosa, nem um ciclo de preços baixos”, explicou o ministro da Agricultura, que foi recepcionado por Domingo Alzugaray, editor e diretor responsável da Editora Três, e por Márcio Toledo, presidente do Jockey Club.

O evento reuniu os diversos setores do agronegócio nacional. Estavam lá os pecuaristas Jovelino Mineiro, Jonas Barcellos e Antonio Junqueira Vilela.

Também compareceram à comemoração Pedro Maeda, vice-presidente da algodoeira Maeda, Shiro Nishimura, presidente da Jacto e César Borges de Souza, vice-presidente da Caramuru. O banqueiro Joseph Safra e o presidente da Volks Caminhões, Roberto Cortês, eram exemplos de empresários urbanos com um pezinho no campo. Assim como executivos de grandes multinacionais, como Cargill e Bayer, muitos líderes de associações ligadas ao campo aproveitaram o aniversário de DINHEIRO RURAL para fazer contatos. “É a primeira vez que participo de um evento que celebra um aniversário, mas que marca a maioridade já alcançada por uma revista”, elogiou o ministro Rodrigues. “DINHEIRO RURAL é um canal para debater nossas propostas e viabilizar uma distribuição igualitária e eqüitativa a todos os elos da cadeia do agronegócio”, afirmou o deputado Caiado. “Fazemos a DINHEIRO RURAL para os produtores e vamos trabalhar duro para acompanhar a pujança deste setor da economia brasileira”, finalizou Alzugaray.