Notícias


Sistema arrecadatório digital será um marco

DIÁRIO DO NORDESTE

Profissionais afirmam que novas ferramentas tributárias trarão transparência e serão arma contra a crise

A implementação do Sped contábil (Sistema Público de Escrituração Digital) e da nota fiscal eletrônica vai mudar o modo de fazer contabilidade no País. Esse é o grande desafio para 2009, que acirrará a competitividade e exigirá mais das empresas para se manterem no mercado.

Com o sistema arrecadatório mais eficiente, transparente e ágil, as empresas terão mais tempo para se dedicarem às questões estratégicas dos negócios. A análise é de Osório Cavalcante Araújo, presidente do CRC-CE (Conselho Regional de Contabilidade do Ceará), que está à frente do 12° Seminário de Contabilidade do Ceará, que prossegue até hoje, no Centro de Negócios do Sebrae/CE.

´A obrigatoriedade de aplicação dessas ferramentas vai ser um marco na história contábil das organizações. Vai trazer grandes modificações no modo de fazer negócios — todas as empresas vão estar no mesmo patamar fiscal e societário´. ´Se não se planejarem, não buscarem preços competitivos correm o risco de saírem do mercado´, disse Araújo.

Neste cenário, os contabilistas estão se reunindo buscando conhecimento quanto ao uso desses novos sistemas para dar suporte aos empresários. ´O seminário visa exatamente reunir a comunidade contábil cearense e discutir os aspectos técnico-científicos dessas mudanças´. ´Precisamos divulgar os meios para sua instrumentalização, de modo a assegurar qualidade e adequação dos profissionais e organizações para a implementação dos novos sistemas´, enfatizou Osório Cavalcante Araújo.

Crise

Para o presidente do CRC, somente após o fechamento do balanço do quarto trimestre de 2008 é que será possível medir o impacto da crise norte-americana para as empresas que não têm volume de aplicações nas bolsas de valores. ´Um dos principais reflexos com certeza ocorreu naquelas empresas que têm ações e contratos diversos em moedas estrangeiras. O sobe e desce do câmbio deixou o mercado muito nervoso´, destacou.

Na visão de Maria Clara Cavalcante Bugarim, presidente do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), ´o grande antídoto para a crise é uma contabilidade fortalecida; a transparência das demonstrações contábeis irá trazer confiança aos investidores´. Segundo ela, ´o mercado financeiro internacional vai se acomodar e as bolsas brasileiras dão indicativos que a governança corporativa está à altura dos melhores investidores´, menciona.

Clara Bugarim que ministrou a palestra ´Cenário para o Desenvolvimento da Ciência Contábil´, incentiva a classe a ´se atualizar, buscar qualificação porque profissionais preparados vão ajudar no desenvolvimento do País´.

OPINIÃO
Ferramentas vão simplificar recolhimento

José Carlos Fortes
Contador e advogado

Acredito que a implementação dessas novas ferramentas de controle fiscal é uma medida interessante e que vai gerar um expressivo impacto no sistema de arrecadação de impostos no Brasil. São meios de extrema importância para o Fisco. Uma vez implementados, não haverá mais a necessidade de criar informações paralelas sobre apurações e informações de tributos. O sistema digital vai ter a vantagem de permitir a identificação e o acompanhamento das movimentações contábeis e fiscais das empresas através de um simples arquivo. Essa facilidade faz com que o próprio profissional de contabilidade, que tem se pautado em obrigações contábeis, canalize seu tempo em ações de gerenciamento e planejamento. Certamente é um marco na história das organizações. Quando estiver funcionando na sua plenitude, vai ser possível observar com muita nitidez os dois momentos, de forma bem distinta.