Notícias


Secretário estima déficit da Previdência este ano R$ 3 bilhões acima do previsto

<!–

Atualizada em 20/05/2006 às 20:51

–>

A Previdência deve fechar este ano com déficit em torno R$ 47 bilhões. Anteriormente, a projeção era de um déficit de R$ 44,4 bilhões, mas foi modificada devido à antecipação de R$ 3 bilhões de benefícios que normalmente são pagos em janeiro e estão sendo antecipados para os cinco últimos dias úteis de dezembro.

Segundo dados do Resultado do Regime Geral de Previdência Social, divulgados hoje (18) pelo secretário de Políticas de Previdência Social, Helmut Schwarzer, no acumulado do ano o déficit previdenciário está em R$ 41,713 bilhões, valor 1,5% abaixo do registrado no mesmo período de 2006.

Para 2008, Schwarzer disse que ainda será preciso fazer um recalculo das projeções, mas mantém as perspectivas positivas, “porque há a possibilidade da economia continuar crescendo com taxas de 5%, talvez mais; há também a hipótese de que o mercado de trabalho continue favorável para a previdência social, como aconteceu ao longo de 2007 e isso significa que a situação financeira e a sustentabilidade da Previdência Social vai melhorar no ano de 2008”.

“Nós tivemos uma melhoria substantiva de arrecadação ao longo do ano de 2007. A arrecadação tem crescido mais de 9% acima da arrecadação do ano passado, em função da melhoria do mercado de trabalho, da melhoria da gestão da arrecadação por meio da Receita Federal do Brasil, e por outro lado as despesas com benefícios previdenciários têm crescido abaixo desse patamar, em torno de 6% neste ano de 2007 em comparação com 2006”.

Para o secretário, a queda nas despesas com benefícios previdenciários se dá em função da gestão do auxílio doença e da melhoria da perícia médica. Isso faz com que o resultado do acumulado do ano tenha caído em termos reais, comparando os dois anos e corrigindo pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), em 1,5%.

Segundo Helmut Schwarzer, em 2003 houve uma desaceleração do crescimento do déficit da previdência social, que continuou em 2004.

“O mercado de trabalho foi se formalizando ao longo desses anos e agora nos estamos num dos melhores momentos, talvez 2007 seja o melhor ano dessa série histórica recente, e esperamos que 2008 continue nesse embalo, com resultados melhores ainda para o financiamento e o pagamento dos benefícios da previdência social”.