Logo Leandro e CIA

Redes de franquias crescem mais de 8% no 1º trimestre do ano

Publicado em:

Portal Terra

Demanda provocou uma mudança na forma de comercializar artigos de luxo em shoppings e fornecer variedades e coleções exclusivas aos consumidores brasileiros da classe A.

Segundo a Pesquisa Trimestral de Desempenho do setor de franquias referente a janeiro a março de 2022, realizada pela ABF (Associação Brasileira de Franchising), demonstra que o setor permanece em ritmo de recuperação, atento aos desafios de um ambiente macroeconômico com inflação e juros em alta. O estudo apontou que as redes de franquias cresceram 8,8% em faturamento no 1º trimestre frente a igual período do ano passado, com uma receita que passou de R$ 39,881 bilhões para R$ 43,380 bilhões. Na comparação com o 1º tri de 2020, quando o faturamento registrado foi de R$ 41,537 bilhões, o avanço foi de 4,4%.

O mercado agrega a comercialização de experiências como viagens e spas, além do segmento de roupas, acessórios, joalheria, perfumaria, entre outros. Dentro desse mercado, os quiosques de luxo são alternativas para investidores que pretendem comercializar o conceito em produtos para o público classe A.

Esse pode ser um modelo ideal para empresários aplicarem um investimento médio, com redução no aluguel, menores taxas e maior mobilidade do ponto comercial, assim como outras opções existentes no mercado.

“Com mais milionários no mundo, as redes de franqueadores se tornou ainda mais aquecido e alinhado ao formato de vendas em quiosques, que funcionam em grandes shopping centers, aeroportos, galerias, entre outros espaços, as vendas têm aumentado de forma espontânea, devido ao pós-pandemia”, lembra Nilton Gabas, fundador da franquia de luxo Jack Sir.

O consumo de produtos de alto padrão tem ido além dos carros e imóveis, podem-se destacar por exemplo, o segmento de luxo pessoal. “A mudança de posicionamento das marcas no mercado de luxo também ocorreu no mercado brasileiro. O esperado para 2022 é que o crescimento apresentado continue, uma vez que este nicho não ficou desaquecido no Brasil mesmo durante crise causada pela pandemia”, comenta Nilton.

Ainda segundo a mesma pesquisa, as redes de franquia mantiveram seus planos de expansão, aponta o levantamento da ABF. A variação no primeiro trimestre de 2022 representou um acréscimo de 2.771 operações de franchising no país, totalizando 173.770 unidades. Entre janeiro e março deste ano foram inauguradas 4,0% operações frente a 3,3% no mesmo período do ano passado, e encerradas 2,2%, com um saldo positivo de 1,8%. Já os repasses tiveram uma leve alta, subindo de 0,5% das unidades no primeiro tri de 2021 para 0,8% em igual período de 2022.

“É perceptível a alta na grande demanda por acessórios masculinos, como joias de prata, pulseiras, chapéu panamá, cosméticos, entre outros itens exclusivos. Além disso, os ambientes de vendas onde os quiosques fazem toda a diferença para atingir esse público e garantir as vendas”, finalizou o fundador da Jack Sir.

Abrir o chat
Precisa de ajuda?
Olá, como podemos lhe ajudar hoje?
%d blogueiros gostam disto: