Notícias


Receita em Foz do Iguaçu já arrecadou mais de US$ 5 milhões neste ano

Folha Online

da Agência Brasil

A aduana da Receita Federal em Foz do Iguaçu, na fronteira do Brasil com o Paraguai, foi responsável pelo aumento da arrecadação de impostos e na apreensão de mercadorias que entrariam ilegalmente no país. A unidade existe há dois anos.

"Foz do Iguaçu era considerada ponto estratégico dos sacoleiros que traziam mercadorias contrabandeadas do Paraguai, tinha perdido muito do encanto do turismo", disse o delegado da Receita Gilberto Tragancin.

"A arrecadação com impostos de bagagem, cobrados de pessoas que compram acima da cota de US$ 300, que em 2006 foi de cerca de R$ 3 milhões, este ano, faltando ainda três meses para serem contabilizados, já ultrapassou os R$ 5 milhões", informou.

De acordo com o delegado, aproximadamente um milhão de pessoas entram no Brasil, num período de um ano, com mercadorias importadas.

Tragancin apontou como um desafio para a Receita Federal, acompanhar o movimento de migração do crime organizado. "Como a fiscalização aumentou na Ponte da Amizade, os contrabandistas se colocam ao longo dos 200 quilômetros entre o Rio Paraná e o Lago de Itaipu. Como não temos efetivo para rastrear dia e noite toda essa extensão, estamos cada vez mais bem equipados e trabalhando em conjunto com outros órgãos de repressão que atuam no fronteira", explicou.

O serviço de inteligência tem dado certo, na avaliação de Tragancin. "A prova disso é que 90% das mercadorias apreendidas são desses locais, denominados zona secundária.

Dos US$ 62,9 milhões em mercadorias apreendidas este ano pela Receita, US$ 56,8 milhões foram encontrados na zona secundária, só 10% foram apreendidos na aduana.