Notícias


Procura por crédito cai entre consumidores e empresas, aponta Serasa

Folha Online

da Folha Online

A crise financeira internacional fez cair a procura por crédito tanto entre os consumidores como entre as empresas, apontam dois novos indicadores da Serasa Experian apresentados nesta terça-feira.

“Sendo o componente mais sensível da economia em relação às expectativas e com efeito direto na atividade econômica e nas decisões de investimentos, o crédito deve ser bem monitorado”, afirma o presidente da Serasa Experian, Francisco Valim, sobre o Indicador da Demanda do Consumidor por Crédito e o Indicador da Demanda das Empresas.

Entre as pessoas físicas, o novo indicador aponta queda de 10,5% entre os brasileiros que procuraram crédito em fevereiro deste ano ante janeiro. Em relação ao mesmo mês de 2008, o recuo foi de 4,2%. No acumulado do primeiro bimestre, a retração ante o mesmo período do ano passado foi de 3,3%.

Para Francisco Valim, a retração é um alerta, já que o consumo gerado a partir do crédito responde por grande parte do crescimento da economia. A pesquisa da Serasa, porém, não mensura os níveis da oferta de crédito no mercado. Na avaliação de Valim, “existe um problema de queda de demanda, agravado pelo aumento da inadimplência” –ainda de acordo com dados da Serasa, a inadimplência aumentou 8,6% nos dois primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período do ano anterior.

No corte regional, a região Sudeste apresentou a maior queda percentual na procura das pessoas físicas por crédito em fevereiro: recuo de 12,4% em relação a janeiro de 2009. A segunda maior queda de demanda por crédito ficou com o Nordeste (-10,9%), seguida pelo Centro-Oeste (-8,1%), Norte (-6,6%) e Sul (-6,5%).

Em comparação com o mesmo mês do ano passado, o Nordeste apresentou variação negativa de 11,5%, seguido do Sudeste (-5,2%), Norte (-2,8%) e Centro-Oeste (-0,6%). A única região que demonstrou aumento da demanda por crédito em fevereiro de 2009 comparativamente a fevereiro de 2008 foi a Sul (+3,4%).

No acumulado de 2009, o Nordeste lidera a queda (-12%). Com exceção do Sul (alta de 3%), todas as demais também apresentam queda no ano: Norte (-4,9%), Sudeste (-2,9%), Centro-Oeste (-1,3%).

Por classe de renda pessoal mensal, houve retração em todas as camadas pesquisadas. As pessoas que ganham até R$ 500 por mês foram as que mais se afastaram: recuo de 12,2% entre fevereiro e janeiro e queda de 8,9% no primeiro bimestre. A queda diminui à medida que aumenta a renda.

Empresas

O indicador que mede a demanda por crédito entre as pessoas jurídicas aponta que 10,8% menos empresas procuraram crédito em fevereiro na comparação com janeiro deste ano. Ante o mesmo mês do ano passado, o recuo foi de 4,4%, e no acumulado do ano, a retração da demanda por crédito foi de 6,7%.

Em relação ao porte das empresas, segundo a Serasa as micro e pequenas foram as que mais se afastaram do crédito entre janeiro e fevereiro, registrando queda de 11,4%. Entre as médias empresas, o recuo foi de 2,1%, e entre as grandes, de apenas 0,4%. No acumulado do primeiro bimestre, também as micro e pequenas empresas demonstraram o maior recuo na demanda por crédito: 7%.

Na análise por segmento, o setor de serviços teve recuo de 12,4% na comparação mensal, seguido pela indústria (-11%) e pelo comércio (-9,6%).

Metodologia

Para a metodologia dos novos indicadores, a Serasa parte de uma amostra de cerca de 11,5 milhões de CPFs, consultados mensalmente, quando o assunto refere-se a crédito, e amostra de 1,2 milhão de CNPJs.

A Serasa Experian possui 400 mil clientes em sua base, que demandam cerca de 4 milhões de consultas por dia em todo o Brasil.