Notícias


Poupança já captou R$ 4,5 bi em julho

estadao.com.br

Saldo até dia 21 supera em quase duas vezes o total do primeiro semestre; fundos também têm entrada de recursos

Mariana Segala

Componentes.montarControleTexto(“ctrl_texto”)

A caderneta de poupança acumula captação líquida positiva (aplicações menos resgates) de R$ 4,5 bilhões em julho, até o dia 21, segundo o Banco Central (BC). Nesse mesmo intervalo de junho, o saldo estava em R$ 49 milhões. No primeiro semestre todo, a captação foi positiva em R$ 2,4 bilhões.

Entre os fundos de investimento mais conservadores, os referenciados DI registravam depósitos líquidos de R$ 215 milhões em julho até dia 21. Os de curto prazo tiveram resgates líquidos de R$ 389 milhões, segundo dados compilados pelo site financeiro Fortuna. Os fundos de renda fixa, que compram basicamente títulos de dívida prefixados, têm captação positiva de R$ 3,8 bilhões no mês.

Os DIs e os de curto prazo são os que potencialmente mais disputam com a poupança em termos de rentabilidade. Na semana passada, o BC reduziu novamente a Selic, em meio ponto porcentual, para 8,75% ao ano, menor nível da história do País.

"De maneira geral, fundos conservadores com aplicação inicial baixa estão perdendo cotistas", afirmou o diretor do site Fortuna, Marcelo D?Agosto. Os referenciados DI, por exemplo, registram saída de 6,8 mil investidores neste mês (até dia 21), segundo o site. No mesmo período, os fundos de renda fixa tiveram o ingresso de 297 cotistas e os de curto prazo, de 5,7 mil.

"Em princípio, parece que não há corrida desenfreada de aplicadores deixando os fundos para a poupança, mas a saída de cotistas dos fundos de varejo sinaliza que a poupança está mesmo competitiva", disse D?Agosto.

É o que ressalta o sócio da AZ Investimentos, Ricardo Zeno. "Fundos pós-fixados, principalmente os atrelados ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário), tendem a acompanhar a Selic", disse. "Contando com taxa de administração e imposto de renda, estão remunerando menos que a poupança. É natural que o investidor observe a vantagem e migre ao menos parte do dinheiro para a caderneta." A poupança é isenta de IR e não tem taxa de administração.

"Certamente a poupança está mais atrativa que os fundos DI mais acessíveis", observou D?Agosto. Ele pondera, no entanto, que isso não é fator suficiente para desestabilizar o mercado financeiro nem indício de que ocorrerá a temida migração em massa de investidores para a poupança. "Como chamariz para posteriores aplicações mais sofisticadas, as carteiras conservadoras acessíveis não estão cumprindo seu papel."

Em julho inteiro de 2008, os fundos DI tiveram resgates de R$ 1,3 bilhão, os de renda fixa perderam R$ 3,5 bilhões e os de curto prazo tiveram depósitos líquidos de R$ 913 milhões. No mesmo mês de 2007, os fundos DI perderam R$ 3,1 bilhões, os de curto prazo, R$ 524 milhões, e os de renda fixa, aplicações de R$ 678 milhões.

var keywords = “”;