Notícias


Poupador pode ter outra chance para reaver dinheiro

Jornal da Tarde

Liminar garante prazo maior

O prazo para ações contra bancos reclamando a diferença de oito pontos porcentuais na correção das poupanças da época do Plano Bresser acabou ontem. Mas poupadores do Estado do Rio de Janeiro que não iniciaram processos já têm garantido o direito de receber o pagamento em caso de ganho da ação civil pública movida pela Defensoria Pública da União no Estado. E esse benefício poderá ser estendido a todo o País.

A Defensoria no Rio obteve anteontem liminar favorável em ação contra 12 bancos que impede que eles se desfaçam de documentos dos investimentos no período de 1º a 15 de junho e de julho de 1987. Só com esses extratos os poupadores poderão se beneficiar de decisão favorável nessas ações civis públicas. O receio era que os bancos destruíssem essa documentação.

Quando o processo terminar, em caso de ganho da ação, os poupadores poderão aderir a ele com apresentação dos extratos.

“Estamos recorrendo ao Tribunal Regional Federal para estender os efeitos da medida a todo o País”, disse o defensor público federal André da Silva Ordacgy. Segundo ele, “quem não conseguiu ajuizar a tempo o direito individual poderá se habilitar mais tarde a este processo, por meio de um advogado particular ou da própria Defensoria”.

Fila

O último dia do prazo para pedir na Justiça a correção das perdas do Plano Bresser causou filas, ontem, nos órgãos de Justiça da Capital. Muitos poupadores deixaram para entrar com a ação na última hora. Segundo eles, o motivo foi a dificuldade em conseguir nos bancos os extratos das contas.

A fila de espera no Juizado Especial Federal, na Av. Paulista, começou por volta das 8h. O atendimento era feito só para clientes da Caixa Econômica Federal e muitas pessoas que estava com protocolos de extratos de bancos privados tiveram de seguir para o Juizado Especial Cível (JEC), onde eram aceitas ações contra bancos privados. A funcionária pública Maria do Socorro, de 53 anos, que estava na fila do JEC, foi dispensada do trabalho só para poder entrar com a ação. Ela disse que disse que há duas semanas pediu os extratos. “Mas só vou recebê-los em agosto.”