Notícias


PF desmonta quadrilha acusada de fraudar INSS em até R$ 200 milhões

Folha Online

da Folha Online

A Polícia Federal em São Paulo desencadeou hoje operação para desarticular uma quadrilha que atuava na concessão fraudulenta de benefícios previdenciários. Segundo a PF, o grupo, que reúne empresários e advogados domiciliados em São Bernardo do Campo (Grande São Paulo), causou prejuízos estimados em até R$ 200 milhões à Previdência Social, por meio da emissão de benefícios de auxílio-doença e de aposentadoria por invalidez.

Pela chamada Operação Providência, a Força Tarefa Previdenciária –integrada pela PF, Ministério da Previdência Social e Ministério Público Federal– analisou 349 benefícios intermediados pela quadrilha, com indícios de fraude de R$ 8,72 milhões. A PF, porém, estima que desde 2003 as emissões fraudulentas de cerca de 3.500 benefícios tenham gerado prejuízo bem maior.

De acordo com as investigações, a quadrilha corrompia médicos peritos e outros servidores de uma Agência da Previdência Social de São Bernardo do Campo. "Estes, por sua vez, concediam benefícios de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez para pessoas saudáveis e com plena capacidade laboral", afirma a polícia.

Participam da operação 204 policiais federais e dez servidores do Previdência Social, para cumprir 21 mandados de prisão temporária e 38 mandados de busca e apreensão contra servidores públicos, médicos peritos, advogados, agenciadores e beneficiários que buscavam os serviços dos grupos criminosos.

Também serão cumpridas ordens de bloqueio de contas bancárias, seqüestro de imóveis e veículos automotores utilizados pelo grupo, bem como a realização de perícias por junta médica da Previdência Social em segurados que participaram do esquema.

As ações são realizadas nos municípios de São Bernardo do Campo, São Paulo, Santo André, Diadema, Mogi das Cruzes, Guareí, Americana, Campos do Jordão, Guarujá, Bertioga, Santos, Itanhaém e Montes Claros (MG).