Logo Leandro e CIA

Pequenas e médias empresas ganham mercadões digitais

Publicado em:

Por Vanderlei Campos

Neste mês, a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) lança o Busque Fácil, um portal para dinamizar os relacionamentos e os negócios das pequenas e médias empresas. Além de catálogos de produtos, o site inclui outros serviços, como avisos de licitações, empregos, pesquisas de preço e apoio à cobrança. O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) também anuncia, para abril, a Bolsa de Negócios, um portal de busca de produtos e serviços. Em ambos os casos, aplicações relacionadas a transações comerciais ou entrega não estão incluídas no escopo do portal.

“O objetivo inicial é tornar viável que a empresa atinja compradores aos quais não chega pelos canais de comunicação convencionais”, resume Mário Firmino, consultor de novos negócios da ACSP. “A idéia é que as empresas que já têm acesso à internet usem a rede para gerar oportunidades e receita, sem a necessidade de esperar longos ciclos de planejamento, investimentos e implementação de sites mais sofisticados. Para incluir grandes quantidades de empresas no mundo digital, vimos que tínhamos que oferecer mecanismos simples, de baixo custo e com resultados imediatos”, conta. “Falta aos compradores uma referência de fornecedores de menor porte. Aproximar a oferta e a demanda é um passo importante para ampliar a inclusão na economia digital”, observa Eraldo Santos, coordenador nacional da Bolsa de Negócios.

No BusqueFácil, as empresas cadastradas podem incluir até cinco fotos, imagens ou folhetos de produtos, e passam a compor a base de busca. O site vai convergir parte do conteúdo de 382 portais de associações municipais, que incluem 50 mil fornecedores e mais de 11 mil itens. “Será apresentada ao usuário a informação que lhe for efetivamente relevante, com filtros que dão mais objetividade à busca”, esclarece Firmino.

Além de funcionar como um guia e um espaço de exposição de catálogos, o BusqueFácil inclui outros serviços, demandados pelos empresários. Um deles é o acompanhamento de licitações. “A legislação hoje privilegia pequenas empresas em compras públicas. Para isso ter efeito, é preciso simplificar o acesso a essas oportunidades”, diz Firmino. Outra ferramenta é a pesquisa de preço. “Isso já é feito pelos grandes grupos, mas as PMEs (Pequenas e Médias Empresas) trabalham com estimativas ou amostras restritas”, diagnostica o consultor.

Embora não disponibilize recursos de comércio eletrônico, o BusqueFácil oferece aos associados um sistema de gestão, para maximizar os benefícios da digitalização. “De um lado, o BusqueFácil promove o uso da tecnologia para acesso a informações de mercado e criação de relacionamentos comerciais. Queremos também que a tecnologia ajude a criar uma cultura de gestão”, justifica Firmino.

Ao mesmo tempo em que funciona como uma grande vitrine da oferta de PMEs, o BusqueFácil também permite a localização de compradores habituais de determinados produtos ou serviços. Há ainda ferramentas para cotação. “Na área de agregação de demanda, vamos buscar aproximação com as grandes centrais de compras corporativas, além de continuar a fomentar os negócios entre as PMEs”, adianta o consultor da ACSP.

Podem participar do BusqueFácil as empresas filiadas às associações comerciais. O serviço tem uma anuidade de R$ 60. O site é mantido e suportado no data center da ACSP, cujos servidores já hospedam vários portais de associações comerciais. “A estrutura está pronta para o crescimento nos próximos dois anos”, menciona Firmino.

Abrir o chat
Precisa de ajuda?
Olá, como podemos lhe ajudar hoje?
%d blogueiros gostam disto: