Notícias


Para ter juros de 1º mundo, Dilma quer mudar poupança

Folha.com

Dois dias depois de defender em cadeia nacional de TV a redução dos juros, a presidente Dilma Rousseff reúne hoje os líderes dos partidos governistas para discutir medidas econômicas que permitam baixar ainda mais as taxas bancárias e pode incluir na discussão mudanças na remuneração da caderneta de poupança, informa reportagem de Valdo Cruz e Sheila D’Amorim, publicada na Folha desta quarta-feira (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

Dilma definiu como estratégia de seu governo reduzir os juros reais da economia para no máximo 2% ao ano até o fim de seu mandato, meta que para ser atingida demanda alterações no rendimento da aplicação mais popular do país. A medida, já tentada antes, tem caráter altamente polêmico, principalmente neste ano eleitoral.

Em pronunciamento de TV e rádio anteontem, Dilma acusou uma "lógica perversa" do setor financeiro e cobrou redução dos juros cobrados pelos bancos privados.

Segundo assessores, na reunião de hoje no Palácio do Planalto ela pretende "preparar o terreno" para tratar das mudanças na poupança.

Leia a reportagem completa na Folha desta quarta-feira, que já está nas bancas.

Assine a Folha

Editoria de Arte/Folhapress
A QUEDA DOS JUROS NO BRASIL Caderneta impede redução maior das taxas cobradas
A QUEDA DOS JUROS NO BRASIL Caderneta impede redução maior das taxas cobradas