Notícias


Para Aécio, reforma tributária não passa em 2008

EDUARDO KATTAH – Agencia Estado

BELO HORIZONTE – O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), disse hoje (04) que considera difícil a aprovação da reforma tributária no Congresso Nacional ainda em 2008. "Diria que eu acho difícil. É um ano pela metade, é um ano de eleições municipais, o Congresso funciona basicamente até o meio do ano", afirmou o governador, após participar de um evento no Palácio da Liberdade.

Ontem (03), durante o seu programa semanal de rádio, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um apelo para ao Congresso para que a proposta seja votada ainda neste ano.

Apesar da descrença, Aécio considerou positivo o envio da proposta e disse que prepara um documento que, dentro de no máximo dez dias, será encaminhado à bancada mineira. "Com uma análise pormenorizada, mais detalhada, do impacto da reforma em Minas Gerais e também da minha posição, a favor de alguns aspectos dessa reforma", disse, salientando que a análise será enviada aos parlamentares de todos os partidos.

A idéia, segundo ele, é posteriormente fazer um debate em Brasília, "para que Minas tenha uma posição comum, corrigindo determinados aspectos da reforma, mas apostando, sobretudo, no fim da guerra fiscal como instrumento de crescimento da economia brasileira".

PMDB – Aécio voltou a negar que tenha tratado da disputa presidencial em 2010 e uma eventual saída do PSDB no encontro que teve na noite de ontem (03) com o presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP), em São Paulo. "Eu compreendo que, é claro, quando se conversa com um dirigente de outro partido surgem especulações, sobretudo, no meu caso, reconheço que elas são absolutamente legítimas. Mas não foi esse o tom da conversa", assegurou. "Sou um homem de conversas, mas não há aqui qualquer cogitação de mudança de partido".