Notícias


País tem 9,5 milhões de empresas atuando na informalidade

Em todo o Brasil, existem mais de 5 milhões de pequenas e médias empresas formalizadas. Mas o governo federal estima que cerca de 9,5 milhões atuem na informalidade, segundo a diretora do Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas do Ministério do Desenvolvimento, Cândida Cervieri. Isso significa que a cada três micros e pequenas empresas, duas vivem na informalidade.

Cândida diz que os dados são um sinal de que o País precisa flexibilizar as linhas de crédito para que mais empresas possam atuar legalmente. “Se conseguirmos passar essas empresas para a formalidade, teremos um aumento maior de desenvolvimento, de inclusão social e poderemos reverter algumas questões”, afirma.

Dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostram que, no período de 1996 a 2003, a soma de novas ocupações nas micros e pequenas empresas avançou 3,2 vezes mais do que o constatado nos empreendimentos de maior porte. Por isso mesmo, diz Cândida, existe no Brasil um lapso de acesso ao financiamento por pequenas e médias empresas. Ou seja, uma distância entre o que o sistema financeiro pode oferecer e a procura dos pequenos e médios empresários. Mesmo assim, o País registra 470 mil novas empresas formais por ano.

Desde ontem, o financiamento do setor de pequenas e médias empresas passou a ser tema da Conferência Internacional sobre Financiamento para o Empreendedorismo e o Crescimento de Pequenas e Médias Empresas, realizado pela Organização de Cooperação para o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Dificuldade – “O principal problema é o acesso ao financiamento. Na realidade, há disponibilidade de linhas de crédito para o pequeno empresário; no entanto, para que ele acesse o financiamento, é necessário que apresente garantia que muitas vezes ele não dispõe”, exemplifica Antônio Sérgio Martins, secretário de Desenvolvimento da Produção do Ministério. ( ABr )