Notícias


PAC deve impulsionar setor de panificação

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), anunciado este mês pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, deverá fomentar a indústria de panificação em 2008. O faturamento do ano passado – o setor ainda não fechou suas contas – está próximo dos R$ 30 bilhões, 6,9% superior ao registrado em 2005, índice que deverá se repetir este ano. A expectativa é do presidente da Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip), Alexandre Pereira da Silva.

Além do prognóstico positivo, o setor de panificação registrou, em pesquisa conjunta com o Programa Nacional de Apoio à Panificação (Propan), um aumento no consumo per capita anual de seis quilos – saltou de 27 quilos, em 2005, para 33 quilos, em 2006, quantidade ainda bem inferior a 60 quilos per capita/ano recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Em relação a outros países, o consumo também é baixo. Na Argentina, por exemplo, são consumidos 73 quilos de pão per capita por ano e, no Chile, 93 quilos, destaca o presidente da Abip.

Há muito espaço para crescer ainda e o PAC deverá ajudar. O setor deverá deslanchar mesmo em 2008, diz, argumentando que 2006 foi positivo para o setor que responde por 2% do Produto Interno Bruto (PIB), número que salta para 3% quando incluídos os produtos de revenda.

A indústria de panificação também abriu postos de trabalho com incremento de 1,5%. Hoje o setor oferece 600 mil empregos diretos e 1,5 milhão de empregos indiretos, acrescenta Pereira da Silva.

O fluxo médio de clientes também aumentou em 2,5%. Cerca de 40 milhões de brasileiros freqüentam uma padaria diariamente – a média de freqüência em padarias, no Brasil, está entre 700 e 800 clientes por dia.

Por região, explica o executivo, o Sudeste tem maior concentração de padarias, 43% do total, seguido pelo Nordeste, com 24%. A região Sul fica com uma fatia de 22% e Centro-Oeste e Norte, 7% e 4%, respectivamente.

No Sudeste, o consumo quilo/per capita/ano é 40 quilos, com exceção de São Paulo, que tem um consumo per capita/ano de 45 quilos. No Sul, 45 quilos. No Centro-Oeste, de 25 a 30 quilos. Já no Nordeste, o consumo per capita anual está entre 18 a 20 quilos e no Norte, 10 quilos per capita, informa.

Segundo a Abip, as cerca de 500 padarias que, em 2006, passaram pelo Propan registraram índices de crescimento ainda superiores às demais. Mostram que tiveram crescimento de vendas de 10,8%, gerando 3,4% mais empregos novos. É por esses resultados que a Abip continuará em 2007 com a meta de levar o programa a um número cada vez maior de padarias. No ano passado, houve uma ampliação no mix de muitas padarias com a inclusão de produtos de confeitaria, diz Pereira da Silva, enfatizando que o setor está investindo em capacitação empresarial, qualificação e mídia para crescer. Este ano estamos, em parceria com a Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias (Abima), a Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo) e Associação Nacional das Indústrias de Biscoitos (Anib), criando um fundo de R$ 10 milhões para projeto de marketing, conclui.

(Silvana Orsini – InvestNews)