Notícias


O que as varejistas podem ganhar com o Baú

Portal Exame

Segundo especialistas, a disputa para comprar o braço de varejo do Grupo Silvio Santos será acirrada e quem pagar mais vai levar o negócio

Leva o Baú quem pagar mais

São Paulo – Depois que o Grupo Silvio Santos anunciou oficialmente que as Lojas do Baú estão à venda, a aposta agora é saber qual rede vai conseguir comprar o braço de varejo do grupo e com isso "ganhar" cerca de 140 pontos de venda – espalhados pelas regiões Sul e Sudeste do país.

Segundo especialistas ouvidos por EXAME.com, ainda é muito cedo para cravar um nome, uma vez que o negócio é bastante atrativo e está despertando a atenção de muitas redes.

“Da maneira que o negócio foi anunciado, o Grupo Silvio Santos está querendo leiloar o Baú e vai conseguir comprar a rede quem pagar mais por ela”, disse José Lupoli Junior, sócio da Lupoli Junior Consultores Associados e professor da EACH/USP.

Segundo ele, vários nomes podem estar envolvidos na disputa entre eles: Casas Bahia, Magazine Luiza, Colombo, Grupo MM Mercado Móveis, Máquina de Vendas e até a rede Pernambucanas.

Lupoli não arrisca estipular por qual valor a rede pode ser vendida, mas afirma que a cifra será ser bem interessantes para o Grupo Silvio Santos.

Uma fonte que conhece bem o setor varejista e prefere não ter seu nome revelado, disse a EXAME.com que o valor da venda do Baú pode chegar até a 1 bilhão de reais. “Trata-se de uma marca forte, bem segmentada, e ligada a um grupo bastante popular, por isso tem o seu valor”, disse o especialista.