Notícias


O leão é ágil só para cobrar

Contribuinte reclama do atendimento prestado pela Receita, que é descrito como lento e confuso

Viviane Barros Lima

A arrecadação de impostos no Brasil bate recorde atrás de recorde, a carga tributária é absurda e o poder público não oferece aos contribuintes um serviço compatível com aquilo que cobra. A Receita Federal, responsável pelo recolhimento dos tributos, é reconhecidamente ágil na hora de cobrar o imposto, mas não demonstra a mesma desenvoltura quando o cidadão precisa dos seus serviços. Um bom exemplo disso é o caso da empregada doméstica Gilda da Silva, que precisou regularizar o seu Imposto de Renda (IR), mas recebeu um atendimento confuso e demorado. O JC acompanhou uma manhã na sede da Receita Federal no Recife e constatou os problemas enfrentados pelos contribuintes.

Com o falecimento do marido, a doméstica atrasou o pagamento do IR e tentou parcelar o débito de R$ 360. “Já vim aqui (no órgão) umas seis vezes e ainda não resolvi a situação. Chegaram a me dizer que o meu CPF mostrava que eu era dona de uma empresa e depois disseram que foi um erro. É uma desorganização total”, lamenta a doméstica, que mora em São Lourenço da Mata.

Toda vez que visita a Receita Federal, ela conta que não consegue ser atendida em menos de três horas. “Tenho que chegar de 7h para pegar uma ficha e fico um tempão aqui”, completa.

Carmem Vanderlei, supervisora-geral de Atendimento na agência do Bairro do Recife, diz que o órgão recebe cerca de 600 pessoas por dia. “O pessoal reclama bastante do atendimento. Mas para resolver as solicitações temos que entrar no sistema e ele de vez em quando fica lento ou pára”, explica.

Colocar a culpa no sistema não diminuiu a indignação do contador José Mendonça do Nascimento, 69 anos. “Venho aqui umas três vezes por semana e sempre é a mesma coisa. Tem vezes que passo duas horas esperando e desisto”, afirma. A justificativa da lentidão do sistema já foi ouvida inúmeras vezes depois das reclamações do contador. “Eu sou idoso, mas quando venho tratar assuntos das empresas não posso entrar na fila preferencial”, diz.

Na última quinta-feira, o contador não foi atendido porque não conseguiu pegar uma senha. “Mais uma viagem perdida. Isso acontece muito aqui”.

Carmem diz que a Receita está agendando serviços pela internet. “As pessoas que marcam a consulta pela internet são atendidas no horário marcado. Não há atraso”, garante. O contador George Freitas discorda da supervisora. Segundo ele, mesmo quando os serviços são agendados há atrasos. “Eu venho no horário marcado e espero bastante. O atendimento aqui só é tão ruim quanto o da Prefeitura do Recife”, informa Freitas. Na última quinta-feira, ele pegou uma ficha às 7h30 e, às 9h30, ainda não tinha sido atendido. “Acho que a previsão é lá para as 11h”.

As entidades que representam as empresas de Pernambuco têm uma opinião diferente em relação ao atendimento da Receita Federal. O presidente da Associação de Lojistas de Shopping de Pernambuco (Aloshoppe), Ricardo Galdino, diz que os lojistas ligados à associação não reclamam do atendimento. “Temos uma assessoria contábil que cuida dos casos. O problema só são as filas, mas o atendimento é eficiente”, explica.

A opinião é confirmada pelo presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis de Pernambuco, José Félix de Souza Júnior. Ele acredita que o atendimento da Receita é considerado bom pelas empresas. “O problema é que as pessoas físicas não têm familiaridade com as normas do órgão”, informa. Em comparação com outros órgãos públicos, José Félix diz que o atendimento da Receita é muito mais eficiente. “Você pode agendar o serviço e é atendido na hora”.

[email protected]