Notícias


Números até setembro projetam recordes do turismo para 2005

A entrada de dólares no Brasil por turistas estrangeiros no período de janeiro a setembro deste ano já superou em 14,76% o valor obtido em todo o ano de 2003: são US$ 2,845 bilhões contabilizados até agora. Se comparado aos primeiros nove meses de 2004, o crescimento fica em 22,36%. Para o mês de setembro, isoladamente, os US$ 319 milhões de receita representam uma alta bastante expressiva de 45% nos gastos dos turistas sobre os US$ 220 milhões no ano passado. Tais números, divulgados pelo BC (Banco Central) na última sexta-feira, dia 28, associados aos da Infraero (Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária), que avalia a movimentação de passageiros nos aeroportos, permitem fazer projeções otimistas para o fechamento de 2005.

“Certamente já podemos dizer que neste ano vamos obter recordes em muitos aspectos: entrada de dólares por turistas estrangeiros, desembarques em vôos internacionais e de visitação internacional, por conseqüência”, afirma o diretor de Estudos e Pesquisas da EMBRATUR (Instituto Brasileiro de Turismo), José Francisco de Salles Lopes.

Quanto aos desembarques internacionais, chegaram ao país em setembro 521.268 passageiros, um volume 6,62% superior ao registrado no mesmo mês de 2004. No acumulado (janeiro a setembro), foram registradas 5.077.885 chegadas do exterior: alta de 14,20% ante o mesmo período de 2004. Com base nesses dados, Lopes projeta para o balanço final de 2005 receitas próximas a US$ 4 bilhões (em 2004 foram US$ 3,222), de acordo com os dados do BC. Já os desembarques internacionais devem chegar a um total entre 6,9 e 7 milhões de passageiros.

Vale lembrar que o total de desembarques internacionais fornecido pela Infraero inclui, além dos visitantes estrangeiros, brasileiros em retorno do exterior. O cálculo do BC, por sua vez, inclui as trocas cambiais oficiais e gastos com cartões de crédito internacionais. No final do ano, a EMBRATUR também divulga seu cálculo de receita gerada pelo turismo internacional, que inclui também gastos não-oficiais.

(EMBRATUR)