Notícias


Micro e pequenas empresas dão sinais de recuperação

SÃO PAULO – O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP) constatou crescimento no setor após um ano de queda. Em janeiro de 2006, o faturamento real das 1,3 milhão de micros e pequenas empresas (11% de indústrias, 57% de comércio e 32% de serviços) teve desempenho estável de menos 0,4% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Já o número de pessoas ocupadas no setor registrou um crescimento de 1,8% em janeiro, o que representa 101 mil novas vagas de trabalho em relação ao mesmo mês de 2005. Pesquisa realizada pelo órgão apontou um crescimento das pequenas indústrias de 5,6% em janeiro deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, na contramão das micro e pequenas empresas do comércio e de serviços, com quedas no faturamento real de 1,6% e 2,5%, respectivamente.

No entanto, as micro e pequenas empresas do comércio e de serviços, em relação ao número de trabalhadores ocupados, empregaram 4,7% e 0,5%, respectivamente, na comparação com janeiro de 2005, enquanto na indústria houve queda de 2,7% na mesma comparação. Segundo o Sebrae-SP, a recuperação no faturamento real da indústria vem sendo considerada como um indício de que o processo de queda nos juros básicos (taxa Selic), iniciado em setembro do ano passado, já pode estar surtindo efeito na economia.

Pessoal ocupado
Neste contexto, a manutenção e até o aumento do nível de pessoal ocupado em janeiro, no comércio e serviços, indica que os empresários estão com expectativa de crescimento com relação a 2006. Segundo o diretor-superintendente do Sebrae-SP, José Luiz Ricca, os juros em queda, a expansão do crédito para o consumo e a recuperação dos salários favoreceram o setor em 2006. A continuidade desses processos e o controle da inflação serão fundamentais para a manutenção da recuperação das micro e pequenas empresas em 2006.