Notícias


Mais de 479 mil contribuintes caem na malha fina do IR 2007

Folha Online

ANA PAULA RIBEIRO
da Folha Online, em Brasília

Neste ano, 479.712 declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física ficaram retidas na malha fina, contra 746.035 no ano passado, uma queda de 35,7%. Segundo Joaquim Adir, coordenador nacional do programa do IR, a queda ocorreu porque o contribuinte tem a oportunidade de verificar o seu extrato da declaração durante o ano.

Assim, eventuais disparidades constam do extrato e o declarante tem como fazer uma retificação e ver seu nome fora da malha fina. "A Receita tem processado de forma mais rápida essas informações e disponibilizado para o conhecimento do declarante", explicou.

Para saber o motivo de sua inclusão na malha, o contribuinte precisa acessar o site da Receita Federal e informar os números do CPF e do comprovante de entrega da declaração. Além do extrato deste ano, ele também terá acesso às declarações entregues desde 2003.

Se o declarante encontrar qual a divergência, pode corrigi-la e esperar que seu nome saia nos próximos lotes residuais. Caso contrário, deve esperar ser chamado pela Receita Federal, que tem um prazo de cinco anos para convocar o contribuinte.

O principal motivo para um contribuinte cair na malha fina é a omissão de rendimentos (151.619). Isso acontece quando ele deixa de declarar uma renda ou parte de um rendimento, como recebimento de aluguel ou ganho em aplicações financeiras.

Os demais casos são: falta de recolhimento do imposto pela empresa (45.189), ou seja, o empregador não apresentou a Dirf (Declaração de Imposto Retido na Fonte), divergência na fonte e a diferença de valores entre a fonte pagadora e a declaração do contribuinte (21.236).
As divergências sobre informações com despesa médica deixaram 50.409 contribuintes na malha fina.

Os primeiros lotes da malha fina deste ano deverão ser liberados em janeiro.

Restituição

Nesta segunda-feira, a Receita liberou a consulta ao sétimo lote de declarações do IRPF referente ao exercício de 2007. Foramo liberadas 966.106 declarações. Desse total, 838.942 contribuintes têm imposto a restituir, correspondendo a pouco mais de R$ 928 milhões; 97.067 contribuintes com imposto a pagar, correspondendo a R$ 58 milhões; e outros 30.097 contribuintes sem saldo de imposto a pagar ou a restituir.

O dinheiro estará disponível para saque no dia 17 de dezembro e terá correção total de 7,47%, correspondentes à variação da taxa Selic de maio a novembro e 1% de dezembro.