Notícias


Leão deverá abocanhar R$ 150 bilhões com o Imposto de Renda este ano

Será um bom aumento sobre o valor arrecadado em 2006, de R$ 137,4 bilhões


Contas Abertas

Cerca de 23,2 milhões de pessoas entregaram a declaração de Imposto de Renda à Receita Federal, até a última segunda-feira, prazo-limite de recebimento. O número de declarações este ano superou o de 2006, em que pouco mais de 22 milhões de pessoas entregaram o formulário.

Até dezembro de 2007, o governo deverá arrecadar cerca de R$ 150 bilhões com o tributo, caso o crescimento registrado no ano passado se mantenha constante.

Em 2006, o imposto gerou uma receita de R$ 137,4 bilhões aos cofres públicos, 10% a mais do que o montante registrado em 2005. Para se ter uma idéia do volume de dinheiro, a quantia arrecadada no ano passado corresponde aos gastos globais dos Ministérios da Educação, Saúde, Integração Nacional, Defesa e Transportes juntos, que não ultrapassaram R$ 121 bilhões.

Calculado sobre a renda anual acumulada pela população, o Imposto de Renda corresponde a uma das maiores fontes de recursos da União. No ano passado, a quantia acumulada por meio do tributo correspondeu a 35% do total arrecadado pela Secretaria da Receita Federal e demais receitas vinculadas aos outros órgãos do Poder Público com impostos e contribuições (desconsiderando as previdenciárias).

Desde 2002, a boca do leão aumenta gradativamente, ano a ano. De lá para cá (2006), a arrecadação por meio do IR cresceu 60%, considerando aí os reajustes inflacionários. Naquele período, o Imposto de Renda gerou para o governo R$ 85,8 bilhões. Em 2003, foram pagos R$ 92,4 bilhões. Em 2004, R$ 101,4 bilhões, em 2005, R$ 124,5 milhões e, no ano passado, R$ 137,4 bilhões. Para este ano, a Receita ainda não tem previsão exata de quanto irá arrecadar.

A maior parte da arrecadação anual com o IR é descontada diretamente da renda mensal do trabalhador ou empresa. Em 2006, R$ 72,7 bilhões foram retidos na fonte, o que corresponde a 52,9% do total. Da parcela restante, R$ 56,2 bilhões correspondem ao imposto arrecadado de empresas, entidades financeiras, entre outros (pessoas jurídicas), enquanto R$ 8,5 bilhões equivalem à quantia paga pelo trabalhador comum (pessoa física).

A arrecadação do imposto sobre a renda varia de estado para estado. A unidade da federação que mais contribuiu em 2006 foi São Paulo, com R$ 59 bilhões, cerca de 43% do total. Em segundo lugar aparece o Rio de Janeiro, com R$ 30,1 bilhões. A surpresa está na colocação seguinte: o Distrito Federal, menor unidade da federação do Brasil, com uma população de 2,4 milhões de pessoas, colaborou com R$ 16,4 bilhões em IR no ano passado, ficando a frente de estados considerados fortes como Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul. Coube a Roraima o menor valor com a tributação, R$ 53,8 milhões.

De acordo com o último levantamento da Receita Federal, no 1º trimestre deste ano, R$ 36, 5 bilhões já foram arrecadados pela União com o Imposto de Renda. O valor supera em 13,4% a quantia acumulada no mesmo período do ano passado e corresponde à quase totalidade dos dispêndios do Ministério da Saúde em todo o ano de 2006 (R$ 41 bilhões), considerando inclusive os restos a pagar.

Mariana Braga e Leandro Kleber