Notícias


JP registra a quarta maior alta da cesta básica do país em fevereiro, com alta de 4,25%

Da redação do JORNALONORTE.COM.BR

O índice da cesta básica em João Pessoa no mês de fevereiro foi o quarto maior do País. A variação foi de 4,25% em relação ao mês de janeiro deste ano. Os reajustes de preços de produtos como tomate, banana e arroz puxaram o percentual para cima. Os números foram divulgados nesta segunda-feira, dia 8, pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos.

Contudo, em termos absolutos, o valor da cesta básica pessoense é de R$ 179,28, sendo R$ 7,31 mais cara do verificado em janeiro, com R$ 171,97. O valor passou a ser a terceira mais barata do país, ficando atrás apenas de Aracaju com R$ 169,57 e Fortaleza com R$ 176,28. No comparativo com fevereiro do ano passado, a variação foi nula.

A cesta básica em João Pessoa apresentou alta em nove produtos e queda em outros dois itens, enquanto um único produto não apresentou variação. Os itens com maiores elevações foram o tomate (25%), banana (11,24%) e arroz (5,85%). Já o óleo de soja e o pão foram apresentaram reduções, respectivamente, quedas de -6,57% e -0,18%. O leite não apresentou flutuação no valor.

O Dieese verificou que no primeiro bimestre do ano a cesta básica em João Pessoa registra uma variação 5,07%, a terceira maior variação acumulada entre as cidades pesquisadas, perdendo a apenas para as cidades de Salvador (8,24%) e Recife (7,45%).

A variação por produto nos dois primeiros meses de 2010 aponta elevações no preço do açúcar (37,01%), tomate (28,57%) e da banana (21,13%). Enquanto que as reduções mais destacadas foram verificadas no óleo de soja (-12,62%) e na farinha (-4,15%).

No acumulado dos últimos 12 meses, o Dieese verificou que sete itens tiveram retrações. As três maiores quedas foram: feijão (-27,92%), arroz (-9,05%) e óleo de soja (-8,16%). Os aumentos mais importantes ocorreram no açúcar (52,90%), banana (15,50%) e tomate (13,92%).

O Dieese verificou que, em João Pessoa, o custo da cesta básica, para o sustento de uma mesma família durante um mês, foi de R$ 537,84 no mês de fevereiro, o equivalente a aproximadamente 1,05 vezes o salário mínimo bruto de R$ 510,00. Com isso, a jornada de trabalho necessária para a compra da cesta básica pelo trabalhador pessoense remunerado pelo salário mínimo subiu de 74 horas e 11 minutos, em janeiro, para 77 horas e 20 minutos, em fevereiro.

Em fevereiro, a compra da cesta demandava 38,21% do valor líquido recebido pelo trabalhador, enquanto em janeiro exigia 36,65%. Em comparação com fevereiro de 2009, o percentual comprometido foi o mesmo deste ano.