Notícias


Investimento estrangeiro bate recorde e chega a US$ 10,3 bi em junho

Folha Online

ANA PAULA RIBEIRO
da Folha Online, em Brasília

Os ingressos de recursos provenientes de investimentos estrangeiros no país chegaram no mês passado ao seu valor mais elevado em um único mês. Em junho, eles totalizaram US$ 10,318 bilhões, contra US$ 1,060 bilhão apresentado no mesmo mês do ano passado.

Esses investimentos também são superiores a todos os ingressos do primeiro semestre do ano passado (US$ 7,385 bilhões). Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pelo Banco Central.

De acordo com Altamir Lopes, chefe do departamento econômico do BC, esses investimentos ficaram concentrados, principalmente, no setor de siderurgia, com cerca de US$ 5 bilhões (ArcelorMittal, principalmente). Os serviços prestados por empresas excederam pouco mais de US$ 1 bilhão e o setor financeiro teve ingressos de US$ 1 bilhão.

No ano, os investimentos estrangeiros acumulam um crescimento significativo. Entre janeiro e junho, os ingressos somam US$ 20,864 bilhões, um aumento de 182,5% em relação ao mesmo período do ano passado (US$ 7,385 bilhões).

"Eu acho que a gente caminha para a consolidação de um novo patamar de investimentos estrangeiros diretos", afirmou Lopes.

O resultado no acumulado do ano está menos de US$ 5 bilhões abaixo da previsão do BC para o ano, que é de US$ 25 bilhões. Em 2006, elas somaram US$ 18,782 bilhões.

Em julho, até hoje, os investimentos somam US$ 3 bilhões. A previsão para o mês é que esses ingressos cheguem a US$ 3,5 bilhões. A maior parte dos recursos desses investimentos (US$ 15,169 bilhões no ano) refere-se a participação no capital de empresas.

Esses investimentos são importantes para sustentar e ampliar o crescimento da economia, já que ajudam as empresas a oferecerem uma maior quantidade de bens e serviços.

Já o investimento de empresas brasileiras no exterior representaram em junho uma saída de US$ 81 milhões e, no ano, está positivo em US$ 3,462 bilhões. O saldo está positivo devido a entrada de recursos referente a empréstimos intercompanhias –US$ 8,046 bilhões no ano.