Notícias


INSS: governo suspende pensões

BRASÍLIA. O ministro da Previdência, Nelson Machado, anunciou ontem que o governo deverá suspender, até o início de abril, cem mil aposentadorias e pensões de beneficiários que não atenderam ao primeiro chamado de recadastramento. São quase 10% dos 974 mil beneficiários que teriam que se recadastrar desde outubro do ano passado.

Machado suspeita que entre os não recadastrados estejam integrantes de quadrilhas especializadas em fraudes contra o INSS. Com o corte, a economia pode chegar a R$ 1,3 bilhão por ano.

— Entre os não-recadastrados vai ter desde pessoas que podem não ter entendido os avisos até quadrilhas organizadas — disse Machado.

Benefícios cortados a partir do dia 3

Segundo o ministro, os benefícios dos não-recadastrados serão cortados a partir do próximo dia 3, quando começam os pagamentos de pensões e aposentadorias. Machado deixou claro, no entanto, que nesta primeira etapa o corte é provisório. O benefício pode ser restabelecido em menos de duas semanas, caso o aposentado ou pensionista atualize seus dados no sistema previdenciário. Para isso, basta comparecer ao banco onde retira o benefício e preencher uma ficha com dados pessoais. O interessado precisa apenas apresentar carteira de identidade, comprovante de residência e CPF.

— Os benefícios serão suspensos, mas podem ser restaurados em até 12 dias — disse o ministro.

O governo decidiu promover o recadastramento de todos os beneficiários do INSS depois de constatar a ausência de importantes informações nas fichas de muitos segurados.