Logo Leandro e CIA

Inflação que corrige aluguéis fica em 0,42% na primeira prévia de fevereiro

Publicado em:

Folha Online

da Folha Online

O IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), indicador usado no reajuste de contratos de aluguel, teve alta de 0,42% na primeira prévia do mês de fevereiro, contra deflação de 0,31% no mesmo período de janeiro. No acumulado do ano, o índice apresenta variação negativa de 0,02% e nos últimos 12 meses, o acumulado é de 8,03%. Os dados foram divulgados nesta terça-feira pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

Entenda a diferença entre os principais índices de inflação

A metodologia aplicada na apuração do IGP-M é a mesma do IGP-10 e do IGP-DI, também apurados pela FGV, com a única diferença de ter um período de coleta diferente. A primeira prévia do IGP-M de fevereiro compreende o intervalo entre os dias 21 e 31 do mês de janeiro.

O IPA (Índice de Preços por Atacado) subiu 0,49% segundo a divulgação de hoje, contra deflação de 0,56% um mês antes. O índice referente a Bens Finais passou de deflação de 0,02% para alta de 1,42%, com destaque para o subgrupo alimentos processados (de -2,07% para 3,15%). No estágio dos Bens Intermediários, o índice passou de deflação de 0,61% para uma de 0,46%, com destaque para o subgrupo materiais e componentes para a manufatura (de -0,90% para 0,04%).

O índice referente a Matérias-Primas Brutas subiu 0,84%, contra deflação de 1,08% um mês antes, com destaque para soja em grão (1,08% para 7,01%), bovinos (-6,43% para -0,34%) e café em grão (-1,99% para 7,28%). Já os preços dos itens mandioca (-0,54% para -11,33%), minério de ferro (1,87% para -1,96%) e leite in natura (5,28% para 0,30%) desaceleraram.

O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) teve alta de 0,21%, ligeiramente abaixo do 0,24% visto há um mês, com destaque para os grupos Alimentação (0,15% para -0,08%) e Vestuário (0,52% para -0,81%), em particular nos itens hortaliças e legumes (3,02% para 0,49%), frutas (1,35% para -0,48%) panificados e biscoitos (0,27% para -0,77%) e roupas (de 0,90% para -0,77%).

Também desaceleraram os preços nos grupos Transportes (0,35% para 0,23%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,45% para 0,40%) e Habitação (0,21% para 0,19%), com destaque para tarifa de táxi (3,53% para -2,17%), artigos de higiene e cuidado pessoal (0,54% para 0,12%) e material para reparos de residência (2,21% para -0,05%). Já os preços nos grupos Educação, Leitura e Recreação (0,14% para 1,50%) e Despesas Diversas (0,17% para 0,32%) subiram, com destaque para cursos formais (de estabilidade para 2,29%) e cerveja (0,93% para 1,91%).

O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) subiu 0,43%, contra alta de 0,13% um mês antes. O índice relativo a Materiais e Serviços subiu 0,47%, ante alta de 0,23% há um mês. O índice que representa o custo da Mão-de-Obra teve alta de 0,39%, contra estabilidade um mês antes.

Abrir o chat
Precisa de ajuda?
Olá, como podemos lhe ajudar hoje?
%d blogueiros gostam disto: