Notícias


Inflação continua alta, mas vendas no varejo recuam

JBONLINE

SÃO PAULO, 23 de fevereiro de 2010 – A inflação no país continua elevada, no entanto, as vendas do setor varejista, surpreenderam ao registrar queda e isso contribuiu para o recuo na maioria das projeções de juros embutidas nos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) negociados na BM&FBovespa. O DI com vencimento em janeiro de 2011 fechou com taxa anual de 10,34%, ante 10,35% do ajuste anterior.

As atenções dos agentes financeiros estiveram voltadas nesta terça-feira para o resultado do IPCA-15 que acelerou para 0,94% em fevereiro deste ano, ante taxa de 0,52% apurada no mês anterior. O indicador veio dentro das expectativas do mercado financeiro. Vale ressaltar que o resultado, apesar de ter vindo dentro da expectativa, aponta um patamar bastante alto.

Profissionais de renda fixa comentam que embora a inflação continue em alta e o boletim Focus revele piora nas perspectivas, alguns analistas já começam a entender que os focos de pressão inflacionária podem ser pontuais. O resultado das vendas do setor varejista surpreendeu ao registrar queda de 0,4% em dezembro de 2009, quando comparado com o mês anterior. "Este resultado contribuiu para diminuir as apostas de aumentos nos juros na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) agenda para 16 e 17 março", disse um operador.

Inês Filipa, economista da ICap Brasil, avalia que a expectativa para o setor varejista em 2010 segue positiva, porém o ritmo de crescimento do consumo não é forte, permitindo que o colegiado do Banco Central (BC) eleve os juros quando houver uma confirmação de contaminação mais generalizada dos preços, elevando os riscos inflacionários.

O novo diretor de Assuntos Internacionais do BC, Carlos Hamilton Vasconcelos Araújo, disse hoje, na Comissão de Assuntos Internacionais do Senado, que a tendência é que a taxa de juros continue a baixar e que isso beneficiará as camadas mais pobres da sociedade.

(Maria de Lourdes Chagas – Agência IN)