Notícias


Inadimplência dispara e atinge 441% no mês de abril em JP

Jornal da Paraíba

 

 

 

Tendência é que o endividamento se prolongue pelos próximos meses, segundo dirigentes lojistas. Também cresceu número de pessoas que limparam nome.

Alexsandra Tavares

Em alta por 9 meses consecutivos, a inadimplência em João Pessoa não deu trégua e voltou a disparar em abril ao registrar crescimento de 441% no último mês sobre igual período do ano passado. Foram 10.385 consumidores com contas em atraso em abril deste ano que entraram no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), contra apenas 1.919 há um ano.

Já o número de pessoas que conseguiram “limpar o nome” sujo na praça também cresceu forte 362,79% até mês passado. Foram 5.984 consumidores em abril deste ano ante 1.993 pessoas em abril do ano passado. “As pessoas devem evitar longos parcelamentos por causa dos juros embutidos e emprestar o nome a terceiros”, alertou o diretor do SPC de João Pessoa, Lindembergh Vieira.
No cruzamento de dados de pessoas incluídas no SPC na capital e as que reabilitaram o crédito este ano, o número de pessoas no vermelho cresceu. No acumulado dos quatro meses deste ano, o número de pessoas incluídas no SPC somou 34.616 na capital paraibana, contra 14.091 excluídas, o que representa 20.525 consumidores a mais fora do mercado de consumo a prazo este ano.

No acumulado de janeiro a abril, a inadimplência se mantém alta (313,67%) ao registrar um total de 34.616 devedores de janeiro a abril deste ano, contra os 8.368 nos quatro meses de 2014. O volume de exclusões no período cresceu 236,78% na capital paraibana. Foram 14.091 registros retirados dos órgãos de proteção ao crédito este ano contra os 4.184 no ano passado.

O presidente da Federação das Associações Comerciais da Paraíba, Alexandre Moura, afirmou que a tendência é que o endividamento permaneça em alta nos próximos meses. “A inflação está crescendo e houve vários reajustes fortes este ano. O dinheiro não chega ao fim do mês e elas têm de deixar de pagar alguma conta e esse cenário não se muda a curto prazo”.

DIA DAS MÃES
No comércio pessoense, a opinião diverge entre os lojistas sobre as vendas do Dia da Mães. “Essa é a segunda melhor data do ano para vendas e historicamente crescemos cerca de 30% de um ano para o outro. Mas, infelizmente em 2015 as vendas devem cair cerca de 10%”, lamentou Andrea do Amor Divino, subgerente da loja Coliseum Moda Feminina.