Notícias


Governo vira sócio majoritário nas empresas ao levar 40% em tributos

O peso dos impostos é apontado como o principal obstáculo aos investimentos, que poderiam levar o país a um crescimento maior e sustentado.

Com a carga tributária ao redor de 39% do PIB, é justa a análise empresarial de que o governo brasileiro é sempre o “sócio majoritário” de qualquer negócio formal no Brasil.

Os tributos consomem 45%, em média, da riqueza gerada pelas empresas formais, o chamado VAE (Valor Agregado Empresarial).

Os impostos pagos ao governo levam a maior fatia do VAE, que tem quatro componentes: os gastos com salários (consomem 27% da riqueza); os impostos (45%); os juros e aluguéis (9%) e; os pagamentos de lucros e dividendos (19%).

Isso quer dizer que, para gerar R$ 100 de riqueza líquida, uma empresa deve pagar R$ 82 em tributos, segundo cálculos do IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário).

Segundo análise do economista-chefe do banco HSBC, Alexandre Bassoli, “não estão dadas as condições estruturais para a aceleração” do PIB no Brasil. Ele estaria emperrado mais por questões fiscais do que por conta dos juros altos.

Na análise do banco, a taxa de investimentos deveria crescer entre quatro e seis pontos percentuais do PIB para assegurar um crescimento de até 4%.