Notícias


Governo quer aprovar rápido a CPMF e a DRU

DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse ontem que está preocupado com a demora na tramitação das propostas de emenda constitucional que prorrogam a CPMF, o chamado imposto do cheque, e a DRU (Desvinculação das Receitas da União) até 2011.

Jucá pediu ao ministro Walfrido dos Mares Guia (Relações Institucionais) que agilize as votações na Câmara dos Deputados. A vigência da CPMF e da DRU, que permite à União gastar livremente até 20% da receita do Orçamento, termina no fim de dezembro. "Estamos preocupados porque o Senado vai recebê-las em cima do prazo", disse. Segundo ele, o ideal é que as propostas sejam enviadas à Casa até o final de junho e sejam votadas até setembro.

O ministro de Relações Institucionais minimizou as dificuldades de tramitação e disse que as emendas são imprescindíveis para o governo. "A gente espera que até 30 de setembro a CPMF e a DRU já tenham sido aprovadas porque o país não tem condição de sobreviver sem ambas", afirmou Walfrido ao deixar reunião com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e líderes do governo.

O Palácio do Planalto não concorda com a divisão dos R$ 32,5 bilhões anuais da CPMF entre Estados Municípios, o que vai dificultar a aprovação da proposta de emenda constitucional. (FK)