Notícias


Governo lança crédito consignado para servidor financiar imóveis

Por: JEAN GREGÓRIO

Os servidores públicos federais terão direito a realizar financiamento habitacional na modalidade de empréstimo consignado (desconto em folha). A medida que até a semana passada estava restrita aos servidores ativos, inativos e pensionistas do Ministério da Previdência, Dataprev e INSS foi estendida a todos os funcionários federais ligados ao Executivo. O financiamento poderá beneficiar cerca de 5 milhões de famílias no país, sendo 29,2 mil somente entre os servidores que moram na Paraíba.

Segundo a assessoria do Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão, a regulamentação com todas as regras do financiamento será concluída até a próxima semana, mas pelo modelo acertado com a Caixa Econômica Federal (CEF) e o Banco do Brasil com o Ministério da Previdência, o Acordo de Cooperação Técnica para Financiamento Habitacional vai permitir a aquisição, reforma e construção do imóvel. O Ministério da Previdência informou que o prazo pode chegar a 240 meses (20 anos), com juros mais baixos, por ser crédito consignado.
No convênio assinado com o Ministério da Previdência, Dataprev, INSS e a Caixa Econômica Federal, o servidor poderá financiar até 100% do valor de imóvel, novo ou usado. O prazo de pagamento estava previsto para até 30 anos, com juros variando entre 8,4% a 12%. O servidor poderia comprometer até 25% da sua renda familiar enquanto o convênio celebrado com o Banco do Brasil o servidor poderá financiar até 80% do valor do imóvel, residencial, comercial, novo ou usado com prazo de até 20 anos para quitação, com juros entre 8,9% a 13,9%.
Com folha mensal de R$ 108,4 milhões e salário médio de R$ 3.705 na Paraíba entre os servidores públicos federais, o anúncio da medida foi comemorado pelo setor da construção civil devido ao poder aquisitivo da categoria no Estado. 
Para o presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis da Paraíba (Creci-PB), Rômulo Soares, “é mais uma medida acertada pelo governo federal” para atenuar os efeitos da crise financeira internacional na construção civil ”. Além dos R$ 3 bilhões que foram anunciados na última semana para o capital de giro das empresas, a modalidade  consignado é também uma medida positiva para o mercado de imóveis, pois além desburocratizar o crédito do financiamento, traz segurança e potencializa uma categoria que tem uma renda média muito boa no Estado”, frisou Soares.