Notícias


Governo fixa para março a redução na taxa de álcool e zera imposto

Fonte: INVERTIA

O governo federal respondeu nesta quarta-feira ao não-cumprimento do acordo firmado com usineiros para fixar o preço do litro do álcool no atacado em R$ 1,05 e cumpriu a promessa de reduzir de 25% para 20% a mistura do anidro à gasolina, a partir de 1º de março, por meio de resolução publicada no Diário Oficial. Também determinou a abertura do mercado brasileiro à importação do combustível: a alíquota do imposto, atualmente fixada em 20%, cairá para zero.

Com a redução da mistura, o Planalto quer aumentar a oferta e reduzir a pressão sobre os preços do combustível – que na semana passada ficaram acima do valor acordado com usineiros em janeiro, quando as cotações começaram a preocupar o governo.

De acordo com o Ministério da Agricultura, somente a redução da taxa de álcool na gasolina fará o consumo desse combustível cair para 400 milhões de litros por mês no País, ante 500 milhões de litros registrados atualmente.

A resolução relativa à alteração do percentual de mistura deve ser válida por prazo indeterminado, segundo informou na terça-feira o ministério, quando a medida foi anunciada.

Em relação à derrubada do imposto para a importação do álcool, o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, admitiu que terá pouco impacto nos preços, uma vez que o Brasil é o maior produtor de álcool do mundo e há poucos fornecedores além dele.

Aumento da gasolina preocupa
A alteração na taxa de mistura de álcool, porém, terá seu revés. Está previsto um aumento médio de 1,3% no preço da gasolina em conseqüência da menor taxa de álcool, que é um combustível mais barado e sobre o qual recaem menos impostos.