Notícias


Governo estuda redução tributária na folha de pagamentos, diz Mantega

da Folha Online, em Brasília

O governo estuda uma forma de reduzir a incidência de impostos sobre a folha de pagamentos com o objetivo de beneficiar as empresas que geram mais empregos. No entanto, isso não significa que irá abrir mão de arrecadação. Segundo o ministro Guido Mantega (Fazenda), essa cobrança poderá ser transferida para algum outro imposto.

"Estamos estudando a possibilidade de desonerar a folha de pagamentos. Fazer uma redução tributária grande. Não significa renúncia. Nós podemos transferir esse tributo para uma outra rubrica, para outro ativo. Não é necessariamente só tirar [deixar de cobrar]."

Hoje o empregador precisa arcar com uma série de impostos que são proporcionais aos salários pagos aos funcionários, como a contribuição para a Previdência Social.

Para compensar uma possível redução do nível de impostos sobre a folha de pagamentos, o Ministério da Fazenda estuda aumentar a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) ou a tributação sobre o faturamento.

"Vamos fazer uma análise mais demorada para a gente não se antecipar e fazer uma proposta apressada que não seja satisfatória."

A proposta de reduzir os impostos é do ministro do Trabalho, Carlos Lupi. Os técnicos do Ministério do Trabalho preparam um estudo sobre a redução da carga tributária para as empresas que contratam mais.