Notícias


Governo anuncia medidas de ajuda a empresas nesta semana

Desoneração da folha de pagamentos, a medida mais esperada, fica para depois

Fabio Graner

BRASÍLIA – O governo deve anunciar ainda nesta semana medidas que beneficiem as empresas prejudicadas pela queda do dólar. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta segunda-feira, 11, que as medidas incluem desoneração tributária e financiamentos, via BNDES e envolvem o Tesouro Nacional. Contudo, a desoneração da folha de pagamentos, a medida mais esperada, deve ficar para depois. "A desoneração da folha não sai agora. Ela é mais difícil. Temos feitos simulações, verificado as repercussões nos setores", afirmou.

Em relação às medidas de financiamento, Mantega explicou que o governo planeja oferecer crédito com juros mais baratos e condições mais favoráveis via BNDES e que o Tesouro Nacional deve entrar nesse esforço de barateamento do crédito fazendo equalização de taxas de juros – mecanismo em que a diferença entre uma taxa praticada pelo mercado e a desejada pelo governo é bancada pelo Tesouro.

O ministro não explicou se a equalização seria somente com o BNDES ou incluiria operações com os demais bancos do sistema financeiro. "Estamos desonerando investimento para os setores que precisam de mais competitividade", disse.

Medidas para a queda do dólar

Paralelamente a isso, o governo já anunciou medidas que têm o objetivo de reduzir a queda do dólar. Na sexta-feira, o Banco Central reduziu o limite de exposição cambial dos bancos para 30% do patrimônio de referência (antes era 60%). Apesar disso, no primeiro dia de negócios com as novas regras, o dólar caiu 0,97%, para R$ 1,9410. Mantega espera que as medidas do Banco Central reduzam a "especulação com dólar". Ele disse ainda que as medidas têm caráter "prudencial".