Notícias


Google oferece ajuda para Yahoo resistir à oferta da Microsoft

PORTAL EXAME

Uma das opções assinaladas pelo Google é uma parceria com o Yahoo na área de publicidade online

EXAME O executivo-chefe do Google, Eric Schmidt, ofereceu ajuda ao presidente e co-fundador do Yahoo, Jerry Yang, para que a empresa resista à oferta não-solicitada de compra apresentada pela Microsoft na semana passada – uma proposta de 44,6 bilhões de dólares. Oficialmente, as duas empresas negam qualquer contato, mas uma ligação telefônica na sexta-feira (01/02) teria servido para o Google manifestar seu interesse em se envolver na questão, de acordo com fontes ouvidas pelo jornal americano The Wall Street Journal.

É muito improvável que, para neutralizar a Microsoft, o próprio Google apresente uma proposta para comprar o Yahoo, já que ela enfrentaria fortes resistências devido à concentração de mercado que representaria nas áreas de ferramenta de busca e publicidade online. Uma alternativa seria o Google apoiar a oferta de outra empresa, ou consórcio de investidores, pelo Yahoo.

O mais provável, segundo o WSJ, é que o núcleo de um eventual acordo fosse o abandono, por parte do Yahoo, de sua própria ferramenta de buscas para anúncios online – serviço que faz com que a propaganda seja exibida ao lado dos links e sites mais apropriados ao anunciante -, em prol da adoção do similar desenvolvido pelo Google. Nesse caso, o Google poderia pagar uma certa soma em dinheiro ao Yahoo pela troca, ou garantir o repasse de uma receita fixa de publicidade. Mesmo essas soluções não estariam livres de possíveis restrições das autoridades antitrustes nos Estados Unidos e no mundo.

Uma conversa sobre o assunto já foi mantida pelas empresas no ano passado, com foco nas operações de publicidade na Europa. A ferramenta é apontada pelos analistas como muito dispendiosa, o que comprometeria o desempenho financeiro da companhia. Segundo o analista Mark Mahaney, do Citigroup Global Markets, o Yahoo poderia elevar em 25% seu fluxo anual de caixa, se terceirizasse sua ferramenta de busca de anúncios para o Google. Os próprios executivos do Yahoo chegaram a analisar a idéia, durante a elaboração do planejamento estratégico do ano passado.