Notícias


Fundo de infra-estrutura com recurso do FGTS pode chegar a R$ 17 bilhões

O governo deve anunciar hoje (22) a criação de um fundo de investimento em infra-estrutura com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O fundo será administrado pela Caixa Econômica Federal (CEF) e dependerá da adesão dos trabalhadores.

De acordo com o secretário-executivo do Conselho Curador do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), Paulo Furtado, estima-se que o fundo disponibilize até R$ 17 bilhões para investimentos em estradas, rodovias, ferrovias, portos, saneamento e energia elétrica.

“É uma contribuição do FGTS para o desenvolvimento e o crescimento do país. Ele irá investir em infra-estrutura, começando com recursos da ordem de R$ 5 bilhões, mas podendo chegar a até R$ 17 bilhões”, adianta Furtado.

A exemplo do que ocorreu com os investimentos autorizados na Vale do Rio Doce e na Petrobrás, o investimento individual seria uma oportunidade de o trabalhador aumentar a rentabilidade do dinheiro que tem em sua conta.

As regras e o cronograma de aplicações ainda serão definidos pelo Conselho Curador do FGTS. A criação do fundo e a participação dos trabalhadores serão feitos através de Medida Provisória.

Para o o secretário-executivo do Conselho Curador do FGTS, o novo fundo não oferece riscos aos benefícios trabalhistas, pois o dinheiro a ser investido virá dos recursos excedentes do FGTS. “Estes recursos não afetam os benefícios dos trabalhadores porque estão além das obrigações do FGTS, aplicados em títulos públicos”.

O patrimônio líquido do FGTS é de cerca de R$ 21 bilhões.