Notícias


Franquias atraem cada vez mais os microempresários

Logomarca do veículo

Atividade ganha adeptos, mas requer planejamento e visão de mercado

Do Sebrae em São Paulo

São Paulo – É cada vez maior o número de pequenos empresários interessados em abrir uma franquia. O negócio se expande à medida em que as marcas se fortalecem e que os empreendedores decidem abrir novos caminhos. Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o faturamento no setor de franquias vem crescendo progressivamente desde 2000.

No ano passado, as franquias instaladas no território nacional tiveram retorno de R$ 39,4 bilhões, o que representa uma alta de 11% em relação ao ano anterior. De 2000 para 2006, o número de franquias passou de 51 mil para 62.584.

Mas para quem quer se aventurar nesse tipo de negócio, todo cuidado é pouco. José Carmo Vieira Oliveira, consultor de marketing do Sebrae em São Paulo, recomenda que o candidato a franqueado "faça uma análise de mercado, para avaliar se o produto se enquadra entre os hábitos de consumo ou se não passa de um modismo".

Oliveira afirma também que é preciso tomar um cuidado especial na hora de esclarecer exatamente quais são as taxas cobradas pela franquia. Em geral, é exigido o pagamento das taxas de franquia, de royalties e de publicidade, cujos valores variam de franquia para franquia.

Oportunidades

Depois de fazer uma devida certificação de seu interesse pelo franchising, é preciso que o futuro empreendedor direcione sua visão para o mercado, para saber onde estão surgindo as melhores oportunidades. "O interessado deve se preocupar em selecionar empresas que mais se aproximam de seu perfil e de suas perspectivas. Precisa ter o mínimo de afinidade com o ramo", explica Oliveira.

Na sua opinião, é importante conhecer os manuais de instrução e obter informações de outros franqueados para saber detalhes da estrutura organizacional e se estão satisfeitos. A pessoa jurídica que adquire o direito de uso da marca/método de trabalho, por meio de pagamento inicial ou mensal, tem algumas vantagens, como: trabalhar com conhecimento adquirido e ter retorno mais rapidamente, visto que não precisará solidificar uma marca nova no mercado.

Restrições

Apesar dessas vantagens, o franqueado deverá enfrentar maiores controles e terá menor autonomia do que se tivesse um negócio próprio. Por outro lado, quem pretende fazer de seu negócio próprio uma franquia de sucesso deve avaliar diversos pontos antes de apostar na empreitada. O empresário não deve restringir sua visão ao fato de que, dessa forma, conseguirá ter uma rápida expansão, maior cobertura geográfica e mais vantagens competitivas. Ele precisa prestar atenção aos possíveis pontos negativos a que será submetido, como, por exemplo, perda do sigilo de técnicas utilizadas para a fabricação dos produtos e aumento nos custos de supervisão.

"O dono da tecnologia, muitas vezes, quer franquear, mas não quer divulgar o know-how; assim vai ficar complicado. É preciso ter confiança nos parceiros", considera o consultor. Para ele, é fundamental verificar se a imagem da marca já está bem construída e se o mercado ainda tem potencial de expansão, uma vez que oferecer atividades que estão saturadas não é interessante para ninguém.

Para transformar o plano de franquia em um sucesso, é necessário tornar o planejamento um hábito difundido em toda a rede, para que os conceitos sejam mais bem assimilados e incorporados por todos que a compõem. Dessa forma, existirá a chance de alterar uma tendência de acomodação e falta de disciplina para o planejamento e a execução.

Serviço:
Sebrae em São Paulo – (11) 3177-4500
Fonte – Matéria publicada originalmente no Diário do Comércio e Indústria (Caderno Sebrae-SP) no dia 5/7/2007.