Notícias


Falta de crédito leva contribuiente a acelerar declaração

Jornal Correio dos Lagos

A crise levou quase meio milhão de pessoas a entregar suas declarações do Imposto de Renda mais cedo este ano, já contando com a restituição para ajudar no orçamento. Exatos 486 mil contribuintes enviaram suas declarações nos três primeiros dias do prazo estipulado pela Receita Federal, 63% a mais em relação ao ano passado, que registrou 297 mil declarações enviadas no mesmo período. Os dados correspondem praticamente à mesma quantidade da primeira semana de 2008, que mobilizou 532 mil contribuintes em cinco dias úteis.

 

O contabilista Licério Carneiro transmitiu cinco declarações do IR no primeiro dia, três no segundo e duas no terceiro, todas elas com previsão de ter devolução do imposto. “Este ano as pessoas despertaram o interesse de entregar mais rápido. Um colega me pediu para dar preferência na declaração dele, pois tinha urgência em negociar com o banco a antecipação da restituição, que usaria para cobrir gastos”, revela o contabilista. Ele tem por hábito há alguns anos fazer as declarações de parentes e amigos. “Com certeza, a situação de crise que vem se arrastando desde setembro apertou a corda”, completa. Ele já tem outras declarações engatilhadas, que só não foram entregues por falta de documentação ou dados.

 

O contingente de declarações transmitidas nos primeiros dias só não foi maior em função do atraso na entrega do informe de rendimentos a empregados da iniciativa privada e do funcionalismo público. Até quinta-feira, funcionários da Assembleia Legislativa e servidores estaduais ainda não tinham recebido o documento. “Este ano, o dia 27 caiu logo depois do carnaval e algumas empresas não conseguiram concluir os dados a tempo”, alerta Sauro Henrique de Almeida, vice-presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis de Minas Gerais (Sescon-MG).

 

“As pessoas estão preferindo entregar logo a declaração para sair do sufoco financeiro ao receber a restituição. Não tem sentido contratar especialista para encontrar brecha nos formulários. O sistema da Receita é completo e há o cruzamento com os dados do banco. É melhor fazer o jogo da verdade e entregar logo”, acredita o funcionário público aposentado Hélio Diniz, que planejava encaminhar a dele “de hoje para amanhã”. Ele já chegou a fazer declarações do IR para cerca de 400 pessoas. “Não faço mais, porque perdeu o sentido. Hoje simplificou demais e todo mundo tem computador em casa”, acrescenta.

 

Para Janir Adir Moreira, vice-presidente da Associação Brasileira de Direito Tributário (Abradt), os contribuintes têm interesse em antecipar a entrega da declaração por diversos motivos, inclusive a crise. Ele reforça que, quanto mais cedo entregar a declaração, maior a chance de receber nos primeiros lotes, exceto nos casos de preferências legais e dos idosos acima de 65 anos.

 

Fonte:www.uai.com.br