Notícias


Falsificação de euro cresce em relação à do dólar na América Latina

Fonte: EFE

A falsificação de euro na América Latina cresce frente à do dólar, indica um grupo de especialistas de diversos países, nesta terça-feira. As apreensões de moeda falsa, algumas delas impressas em máquinas de alta tecnologia em poder do crime organizado, foram grandes especialmente na Colômbia, mas foram alarmantes também no Peru e na Venezuela, onde esses crimes teriam origem, segundo os analistas ouvidos pelo jornal francês Le Parisien.

De acordo com o levantamento, as cédulas falsas se destinam principalmente às Antilhas, onde sua venda é mais simples devido ao grande fluxo de turistas estrangeiros, que normalmente usam dinheiro durante suas férias.

A pesquisa mostra que a falsificação de dólar caiu 20% no ano passado, o que significa que “os falsários fazem menos dólares e fabricam mais euro”, pois a moeda européia se transformou em uma divisa “global”, explica um especialista no assunto citado pelo jornal. Ao longo de 2007, as autoridades apreenderam 600 mil cédulas de euro falsas no mundo todo antes que chegassem ao mercado e desmantelaram 19 gráficas clandestinas.

Para tentar combater este crescente fenômeno, 24 países latino-americanos, entre eles Colômbia e Venezuela, se reuniram na semana passada com especialistas europeus. “Oferecemos um leque completo, desde a cooperação judicial até a formação de policiais e juízes” para perseguir este tipo de crimes, disse Didier Duval, chefe da luta contra a criminalidade financeira da polícia francesa.