Notícias


Faça render a diferença do IR

O governo federal corrigiu a tabela do Imposto de Renda na base de 4,5% anuais até 2010 e já chorou por conta disso uma perda na arrecadação da ordem de R$ 5,73 bilhões considerados os quatro anos. Ou seja, é essa a quantia que vai ficar nos bolsos dos contribuintes naquele período e, segundo especialistas, quem souber aproveitar, aplicando a diferença ao longo dos próximos anos, poderá conseguir uma boa reserva ou até realizar um sonho de consumo.

Por conta da correção de 4,5% na tabela do IR já neste ano, o Leão vai abrir mão de uma mordida de R$ 1,23 bilhão nos salários dos contribuintes. Muita gente vai dizer que a diferença mensal que o governo vai deixar de abocanhar de sua renda é quase nada, algo em torno, por exemplo, de R$ 10 para quem recebe até R$ 2 mil. Mas eu provo que a pessoa nessa faixa de renda que optar por aplicar essa diferença nesses quatro anos, na base de 1% ao mês terá acumulado até dezembro de 2010 uma reserva de R$ 1.553,96, afirma o consultor financeiro Reinaldo Domingos.

No quadro acima, Domingos mostra o milagre da multiplicação para quem tem disciplina ou muita vontade de acumular um ganho extra, seja para uma emergência ou para pagar a vista algum bem. A partir daquele investimento de R$ 1.553,96, garantido pelo Imposto de Renda até 2010, se eu fizer uma aplicação, na base de 1% ao mês, terei em trinta anos R$ 55.864,27.

Segundo o consultor da Confirp – Consultoria Contábil, a pessoa que quiser aproveitar a correção da tabela do IR para fazer algo acontecer em sua vida financeira vai ver mais adiante a diferença. Tem de pensar que já está com um valor a mais no bolso e que nem contava com isso. Então, pense em algo que deseja realizar e se programe para tal, orienta.

É consenso entre os especialistas na área de finanças que sem aprender a represar parte dos ganhos mensais nunca haverá sobras. Por isso é importante ter em mente que já há uma sobra. É pequena, mas você pode ampliá-la se juntar com mais alguma economia e colocar onde não tenha facilidade de resgate.

Domingos destaca que o conceito de só poupar ou aplicar o que sobrar é totalmente errado e não leva a lugar algum. Eu defendo um orçamento já dentro desse conceito de auto-investimento.

O certo é fazer um controle mensal dos ganhos e gastos, procurando levantar os desperdícios e já com um objetivo definido. Ao fazer o orçamento é preciso colocar os sonhos antes dos gastos. Ao estabelecer metas a cumprir ou sonhos a concretizar, você estará estimulado a economizar e aplicar, ensina.

A tabela do IR está dando uma mãozinha. Agora cabe a cada um buscar a sua fórmula de conseguir com esse pequeno ganho um acréscimo bem maior lá na frente. As opções de pequenas aplicações no mercado são muitas, de poupança a fundos e até ações via clubes de investimento.