Notícias


Empresas pedem fim dos tributos no crédito

O anúncio feito pela Receita Federal de que está preparando um novo “pacote de bondades” para aliviar o setor produtivo do peso da tributação federal animou o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Armando Monteiro Neto, a defender a redução dos tributos cobrados nas operações de financiamento ao setor produtivo. A eliminação dessa cunha fiscal, em seu ponto de vista, poderia reduzir entre 30% e 40% o spread cobrado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) sobre os créditos aprovados.

“A tributação das operações de financiamento ao investimento é burra”, declarou. “Acabar com a incidência de PIS/Cofins e do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre essas operações não traria prejuízos à arrecadação. Espero que esse novo pacote contemple essa sugestão”, disse.
Segundo Monteiro Neto, somada a essa iniciativa, a possibilidade de redução da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) significaria um enorme estímulo ao investimento produtivo no País. O presidente do BNDES, Guido Mantega, defende redução de 1,5 ponto, de 9,75% para 8,25%.