Notícias


Empresários prejudicados pela queda do dólar terão financiamento de bancos oficiais

Lourenço Melo
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Os empresários prejudicados com a desvalorização do dólar frente ao real, que chegou a 18% nos últimos 12 meses, poderão contar com financiamento de R$ 670 milhões do Banco do Brasil, de R$ 330 milhões da Caixa Econômica Federal e de R$ 2 bilhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), dentro do programa Revitaliza. O programa foi lançado em junho pelo governo.

Os recursos provenientes da Caixa e do Banco do Brasil virão do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). De acordo com o coordenador de Assuntos Econômicos do Tesouro Nacional, Cléber Oliveira, as três linhas vão contar com subvenção econômica da União, para as empresas que tenham receita operacional bruta anual de até R$ 300 milhões.

Em entrevista, Cléber Oliveira informou que serão beneficiados os setores de pedras ornamentais, de beneficiamento de couro e madeira, de calçados e artefatos de couro, produtos têxteis, de confeccção e móveis de madeira.

Segundo ele, o Ministério da Fazenda vai divulgar três portarias estabelecendo normas para os financiamentos, logo após a publicação do decreto presidencial que trata do assunto – o decreto está na edição de hoje (14) do Diário Oficial da União. As portarias vão explicitar as condições para pagamento dos juros, que envolvem bônus sobre adimplência das mensalidades e prazos de carência.

Sobre os recursos tomados ao BNDES, incidirão juros de 8,5% ao ano para utilização em capital de giro das empresas, com prazo de reembolso de até 36 meses. Para os financiamentos do BNDES para investimentos, a taxa de juros será de 7% ao ano e o prazo de amortização, de até 8 anos. O dinheiro que for tomado ao banco para aplicação em pré-embarque de exportação vai ter juros de 7% ao ano e prazo de reembolso de até 36 meses.

Quanto aos financiamentos da Caixa e do Banco do Brasil, que envolve recursos do FAT, serão cobrados juros de 8,5% ao ano para capital de giro. As amortizaçaões feitas no BB e na Caixa, até a data de vencimento, vão contar com bônus de adimplência de 20% sobre o percentual de juros.
<!– .replace(

,).replace(

,) –>