Notícias


Dólar tem a menor cotação em 7 anos

O dólar à vista fechou pelo quarto dia útil consecutivo em queda, de 0,49%, a R$ 1,834 na roda da BM&F e no balcão. Esta é a menor cotação do dólar em 7 anos, desde o fechamento no balcão em 13 de setembro de 2000 a R$ 1,832. Com o resultado de ontem, o pronto acumula ante o real baixas de 1,82% na semana, de 6,57% em setembro e de 14,14% em 2007. A moeda também encerra o mês devolvendo toda a pressão registrada em agosto – o patamar mais alto de fechamento foi a R$ 2,095 e R$ 2,092, respectivamente, em 16 de agosto -, por causa do contágio do mercado de crédito pelos problemas no setor imobiliário subprime nos Estados Unidos.

Apesar de as bolsas na Europa e nos Estados Unidos terem encerrado o terceiro trimestre fiscal em baixa, o que foi seguido pela Bovespa após quatro recordes consecutivos de pontuação, o dólar à vista oscilou entre a estabilidade e queda de até 0,71%, a R$ 1,830 durante o dia. O pronto foi influenciado pela queda externa do dólar ante o euro e, especialmente, pelo interesse dos investidores “vendidos” no mercado futuro em enfraquecer a ptax de fim de mês, formada ontem com o objetivo de maximizar ganhos.

O BC informou que a ptax de venda de ontem caiu 0,11%, a R$ 1,8389. A taxa servirá nesta segunda-feira para a liquidação do dólar outubro na BM&F e também para os ajustes do vencimento de US$ 2,194 bilhões em contratos de swap cambial reverso rolados integralmente pelo BC na terça-feira.

No mercado de dólar futuro, os cinco vencimentos negociados projetaram quedas, com um volume de US$ 21,31 bilhões (425.362 contratos). O dólar outubro07, que será liquidado nesta segunda-feira, projetou baixa de 0,17%, a R$ 1,838; o dólar novembro07, -0,45%, a R$ 1,840; e o dólar janeiro 2009, -0,50%, a R$ 1,950.

Juros – Os juros futuros tiveram queda leve na parte da tarde, após terminarem o primeiro período perto dos níveis de anteontem, motivados por fatores técnicos. Na BM&F, a liquidez foi bastante fraca. O DI janeiro de 2010 terminou com taxa de 11,33%, de 11,35% anteontem, o DI janeiro de 2009 cedeu a 11,24%, de 11,27% no pregão anterior, enquanto o DI janeiro de 2008 fechou praticamente estável em 11,02%, de 11,03% anteontem.

Segundo operadores, na reta final dos negócios da sessão que fechou o mês e o trimestre, assets e investidores estrangeiros teriam atuado na ponta de venda, especialmente nos contratos de prazo mais longo, o que deu um tom melhor ao mercado. Um dos profissionais afirma ver o investidor local mais arisco a assumir posições vendidas do que os players externos, “o que tem segurado um pouco o mercado”. Assim, as taxas poderiam até ter caído mais, já que o dólar manteve-se em baixa, encerrando no menor patamar desde setembro de 2000, a R$ 1,834. (AE)