Logo Leandro e CIA

Declarar IR no fim do prazo pode ser vantajoso financeiramente

Publicado em:

eKAREN CAMACHO
do Agora

Receber a restituição do Imposto de Renda nos últimos lotes pode ser um bom negócio para quem não tem dívidas que precisam ser pagas com urgência. Quem entrar no último lote, por exemplo, pode receber o dinheiro corrigido em até 10%. Se o mesmo valor tivesse sido depositado em março e resgatado em dezembro, renderia cerca de 8% na poupança e 8,5% em fundos DI. Os índices são resultado de simulação.

Isso porque a Receita Federal considera a Selic, taxa básica de juros definida pelo governo, para corrigir as restituições. Vale o acumulado até o mês anterior mais 1% do mês em que a restituição está sendo paga. Em época de Selic alta, pode ser vantagem ficar para os últimos lotes.

Não é à toa que a própria Receita já disse que, mesmo quando cai na malha fina, o contribuinte pode ter a certeza de que o “dinheiro está bem guardado”. A cada mês que passa a correção é maior.

Mas ter a restituição no último lote apenas vale a pena para quem não precisa pagar dívidas, como o cheque especial. Nesses casos, o rendimento da restituição não compensa os juros da dívida.

O economista Miguel de Oliveira fez os cálculos da Selic com base na taxa atual e expectativa de queda nos próximos meses e levou em conta, ainda, a inflação e o comportamento da economia em ano eleitoral. Segundo ele, o rendimento do IR é melhor do que poupança ou fundos DI.

“A Selic alta contribui para um rendimento melhor nas restituições. Além disso, é preciso considerar que 10% de rendimento, por exemplo, é mais que o dobro da inflação do ano. Isso significa ganho real, e o contribuinte mantém o poder de compra”, disse Miguel de Oliveira.

O prazo para declarar vai até 28 de abril, e a ordem de entrega define a formação dos lotes. Ou seja, teoricamente, quem entrega antes recebe nos primeiros lotes.

A regra não vale nos casos dos 700 mil contribuintes com mais de 60 anos que, pelo Estatuto do Idoso, têm prioridade e entram no primeiro lote.

Declarações

A Receita recebeu, até as 17h30 de ontem, 3,4 milhões de declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física 2006, ano-base 2005. Isso representa crescimento de 9,6% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Anteontem foi registrado o dia de maior movimento, com 229 mil documentos transmitidos pela internet. Entre 9h e 10h de ontem, 21.764 contribuintes enviaram a declaração. Nos horários de pico, a Receita recebe, em média, seis documentos por segundo.

Abrir o chat
Precisa de ajuda?
Olá, como podemos lhe ajudar hoje?
%d blogueiros gostam disto: