Notícias


Crescimento econômico e combate à sonegação determinaram aumento de receitas, diz secretário

Após o anúncio do aumento real de 11,09% na arrecadação federal do ano passado em relação a 2006, o secretário da Receita Federal do Brasil (RFB), Jorge Rachid, apontou o crescimento econômico e as medidas administrativas de combate à sonegação como fatores fundamentais para inflar os cofres do governo.

“Nós tivemos fatores positivos que influenciaram a arrecadação durante o ano de 2007. Podemos destacar fatores econômicos e administrativos. Como fatores econômicos, nós tivemos maior lucratividade das empresas, maior faturamento, efetivo crescimento da produção industrial”.

Rachid ressaltou o aumento de empresas que abriram capital para operação em bolsas de valores. Segundo ele, 113 corporações integraram o mercado de ações em 2007.

A Receita Federal divulgou ainda que as 220 maiores, com ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), aumentaram em 46% a lucratividade no mesmo período.
No aspecto administrativo, o governo anunciou que a fiscalização no pagamento de impostos por pessoas físicas e jurídicas cresceu 80%. Outro aumento na arrecadação veio pelo pagamento de juros e multas. Houve 30,7% de receitas a mais advindas de tais punições.

“Em termos administrativos, tivemos maior presença da administração tributária que ensejou maior combate à sonegação e ao contrabando”, assinalou o secretário.