Notícias


Contribuintes se unem para propor reforma tributária

Fonte: Redação Terra

Um grupo multissetorial formado por 30 entidades, como Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Febraban (Federação Brasileira dos Bancos), Secovi (Sindicato das Empresas de Imóveis) e CUT (Central Única dos Trabalhadores) tem se reunido para fechar uma proposta de reforma tributária e apresentá-la ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva até julho, segundo o jornal Folha de S.Paulo. Está é a primeira vez que a sociedade civil está se unindo para reduzir os impostos.

"Sempre que as mudanças nas leis tributárias foram conduzidas apenas pelo governo, o resultado foi, invariavelmente, uma colcha de retalhos que tornou o sistema mais complexo e aumentou de carga", afirma Antoninho Marmo Trevisan, sócio da empresa de auditoria BDO Trevisan, que coordena os trabalhos, ainda de acordo com o jornal. "Chegou a vez de a sociedade civil fazer sua parte".

Entre as sugestões propostas pelo grupo, está a criação de um Imposto sobre Valor Agregado (IVA) federal e outro estadual, substituindo cobranças como o imposto dos produtos industrializados IPI, o de mercadorias ICMS e os sociais PIS e Cofins. O objetivo seria simplificar o sistema.

Uma proposta mais polêmica é a criação de um teto para a crescente carga tributária do País – de 30% em relação ao Produto Interno Bruto (PIB). O percentual final ainda está sendo discutido. A carga hoje é estimada em cerca de 35% do PIB.

"O governo tem de aprender a reduzir seus custos para não sacrificar a sociedade no aspecto tributário", afirma Paulo Skaf, presidente da Fiesp.