Notícias


Contabilistas debatem aplicação da Lei Geral

Membros de 18 países se reúnem em Goiás. Em pauta, importância da profissionalização

O município de Rio Quente recebeu contabilistas brasileiros e de mais 18 países, membros do Comitê de Integração Latino Europa -América (Cilea) para o XIV Seminário Internacional do Cilea, que aconteceu pela primeira vez em um Estado da região Centro-Oeste. O foco desta edição do seminário foi a aplicação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, cujo capítulo tributário entra em vigor a partir do dia 1º de julho. Na oportunidade, especialistas esclareceram os participantes sobre a atuação nas pequenas e médias empresas.

De acordo com o presidente do Cilea, José Maria Martins Mendes, o comitê tem a função de ressaltar e apoiar o trabalho e o bom momento econômico da pequena e média empresa. “O Cilea tem um programa que vem executando nos dez anos de sua existência, que é o apoio ao desenvolvimento da pequena e média empresa”, comentou. O presidente do Cilea afirmou ainda que o Estado de Goiás é muito importante nesse contexto, pois está situado no centro do País.

Para o presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Goiás, Edson Cândido Pinto, o evento foi importante para que os contadores discutissem as inovações da Lei Geral. “Nesse momento em que a lei vai começar a vigorar, é importante trocarmos experiências para que, na hora de aplicar a lei, os contadores estejam preparados”, disse. Cândido ressaltou a importância de o contador se tornar um consultor das micro e pequenas empresas. “O contador é uma peça importante nesse contexto porque a empresa só consegue crescer se for organizada. O contador pode intermediar as relações do empreendedor com as leis e, inclusive, orientá-lo com relação à nova legislação”, comentou.

“Se o empreendedor está abrindo um negócio novo, ousado, e se essa experiência já existe em um país-membro do Cilea, ele deve recorrer ao próprio Cilea ou ao Conselho Regional de Contabilidade para que possamos ajudá-lo”, completou o presidente José Maria. O evento contou ainda com a participação de especialistas de outros países, membros do Cilea, que mostraram como é o sistema tributário das pequenas e médias empresas, como na Itália, no pós-guerra, Espanha, Colômbia e Uruguai.