Logo Leandro e CIA

Conheça a DIRBI e saiba como ela pode impactar as empresas

Publicado em:

Portal Contábil SC

 

Se tem uma sigla que tem “tirado o sono” do empresários e profissionais da contabilidade nos últimos tempos, esta é a DIRBI.

A DIRBI (Declaração de Incentivos, Renúncias, Benefícios e Imunidades de Natureza Tributária) é o mais recente requisito da Receita Federal, que agora obriga as empresas a relatarem mensalmente os benefícios fiscais os benefícios fiscais que utilizam.

A regulamentação da DIRBI foi estabelecida pela Instrução Normativa RFB n.º 2.198/2024, publicada em 18 de junho de 2024, com efeito a partir de 1º de julho de 2024.

Para o consultor na área fiscal e tributária, João Adriano Philipps, a Receita Federal tem como objetivo fortalecer a fiscalização e aumentar a transparência fiscal, exigindo que as empresas apresentem informações detalhadas sobre os benefícios tributários que estão aproveitando.

Consultado pela editoria do Portal Contábil SC, o consultor respondeu alguns questionamento, conforme abaixo:

PORTAL CONTÁBIL SC: Qual o objetivo da DIRBI?

JOÃO ADRIANO PHILIPPS: A DIRBI tem como premissas dois pontos principais:
• Identificar se o benefício e/ou renúncia fiscal utilizado deveria ser utilizado;
• E saber em valores quanto é a perda de arrecadação com o uso do benefício ou renúncia fiscal federal.

PCSC: A DIRBI é obrigatória a entrega para todas as empresas?
JAP: Não, conforme estabelecido na Instrução Normativa, somente se estiver utilizando os benefícios e/ou renúncias fiscais federais previstos na própria instrução.

PCSC: A DIRBI inicia a entrega a partir de quanto?
JAP: A primeira entrega está para 20/07/2024, para os períodos de janeiro a maio de 2024.

PCSC: Empresas do Simples Nacional devem fazer DIRBI?
JAP: Sim, apesar de existir previsão dentro da Instrução Normativa para dispensa na maioria dos casos, há uma situação em que a empresa do Simples Nacional usufruindo de benefício e/ou renúncia fiscal federal deverá entregar.

PCSC: Há previsão de multa na DIRBI?
JAP: Sim, multa mínima de R$ 500,00, porém sendo variável com percentuais de acordo com o volume em reais dos benefícios e/ou renuncias fiscais federais utilizadas.

Para detalhar melhor esse assunto, João Adriano Philipps estará ministrando um curso em formato EAD pelo SESCON EDUCA.

Mais detalhes podem ser vistos diretamente no site.

Abrir o chat
Precisa de ajuda?
Olá, como podemos lhe ajudar hoje?