Notícias


Chuvas aumentam, mas governo aciona mais uma térmica

Fonte: Redação Terra

Jeferson Ribeiro
Direto de Brasília

A reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Energético (CMSE) dessa semana indica que as chuvas já voltaram ao seu nível histórico, mesmo tendo começado depois do período tradicional. Isso indica que a situação dos reservatórios das usinas hidrelétricas deve começar a se normalizar. Contudo, segundo o novo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, os reservatórios ainda precisam recuperar sua capacidade para que o sistema fique seguro e as térmicas emergências possam ser desligadas. Ontem o ministério autorizou a entrada em funcionamento de mais uma usina térmica.

A termoelétrica Mário Covas, em Cuiabá, começa a operar no próximo dia 6. Ela já havia sido acionada pelo ONS, mas teve problemas contratuais para ser ativada. A térmica é movida a óleo combustível.

Na avaliação de Lobão, isso só deve ocorrer no final de fevereiro ou início de março. Antes disso, as oito usinas térmicas que foram acionadas pelo Operador Nacional do Sistema (ONS) devem continuar ativas.

Segundo os membros do CMSE, em várias regiões o nível de chuvas está até mesmo acima da média histórica. Outra notícia que trouxe mais tranqüilidade para o setor é a ocorrência do fenômeno Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que deve provocar ainda mais chuvas no Sudeste e no Centro-Oeste, regiões onde os reservatórios se encontravam em estado mais preocupante.

A previsão do CMSE é que esse fenômeno continue ativo na região até o dia 6 de fevereiro pelo menos de depois está prevista a chegada de uma frente fria na região Sudeste, que deve manter as chuvas e a elevação dos reservatórios.