Logo Leandro e CIA

Carga tributária é apontada como principal vilã das indústrias

Publicado em:

Para 81,82% dos empresários, os impostos impedem o desenvolvimento

Redação Bem Paraná

Mesmo com a boa expectativa, a busca de ganhos de produtividade reflete incertezas em relação às condições externas, como as recorrentes elevações da carga tributária, novamente a campeã entre os obstáculos para o desenvolvimento (81,82%). Nas 12 sondagens realizadas pela Fiep, a carga tributária sempre foi apontada como o principal entrave para os <a oncontextmenu="function anonymous()
{
return false;
}” onmouseover=”function anonymous()
{
hw1866365925184(event, this, 576327518); this.style.cursor=hand; this.style.textDecoration=underline; this.style.borderBottom=solid;
}” style=”CURSOR: hand; COLOR: #ff6600; BORDER-BOTTOM: 1px dotted; TEXT-DECORATION: underline” onclick=”function anonymous()
{
hwClick1866365925184(576327518);return false;
}” onmouseout=”function anonymous()
{
hideMaybe(event, this); this.style.cursor=hand; this.style.textDecoration=underline; this.style.borderBottom=dotted 1px;
}” href=”http://www.bemparana.com.br/index.php?n=53334&t=carga-tributaria-e-apontada-como-principal-vila-das-industrias#”>negócios.

 “É um dos principais fatores que impede que esta boa fase da economia se transforme em um ciclo de crescimento. Hoje é apenas um surto de crescimento, que pode acabar em poucos anos”, alertou o presidente da Fiep. Para ele, o Brasil tem condições de alcançar índices de expansão da economia de 7 a 10% ao ano. “O que impede isso é o mau funcionamento do setor público, que compromete a competitividade das empresas”, destacou. Para a economia funcionar melhor, ele considera imperativo uma revisão na área fiscal. E adiantou que, depois da campanha contra a  prorrogação da CPMF, a Fiep irá se engajar na defesa de uma reforma fiscal. “Só a partir da reforma fiscal poderemos pensar numa reforma tributária ampla”, lembrou. A última reforma tributária brasileira aconteceu em 1965.

            Educação e Inovação ­- O coordenador do Departamento Econômico da Fiep, Maurilio Schmitt, apresentou os dados da Sondagem Industrial deste ano, e ressaltou que a gestão de pessoal/capacitação e a modernização tecnológica/inovação estão ganhando espaço na decisão de investimentos dos empresários. São as estratégias mais apontadas para a obtenção de aumento da produtividade e da competitividade.

O empresário paranaense indica com clareza as dificuldades enfrentadas no mercado internacional: carga tributária elevada, burocracia, encargos sociais excessivos e câmbio lideram a lista de fatores que afetam a competitividade. No mercado interno, a carga tributária e os encargos sociais são os campeões, com 81,82% e 69,52%.

Para enfrentar a concorrência interna e externa e melhorar (ou manter) a competitividade, 65,60% das empresas paranaenses pretendem qualificar seus funcionários. No caso específico do comércio internacional, a principal estratégia será investir em inovação (34,76%).

 “As respostas colocam em evidência o que tem sido a tônica das preocupações da Fiep: a importância de uma educação de qualidade e da capacitação de empresários e trabalhadores associada ao investimento em inovação para <a oncontextmenu="function anonymous()
{
return false;
}” onmouseover=”function anonymous()
{
hw1605952217084(event, this, 576327518); this.style.cursor=hand; this.style.textDecoration=underline; this.style.borderBottom=solid;
}” style=”CURSOR: hand; COLOR: #ff6600; BORDER-BOTTOM: 1px dotted; TEXT-DECORATION: underline” onclick=”function anonymous()
{
hwClick1605952217084(576327518);return false;
}” onmouseout=”function anonymous()
{
hideMaybe(event, this); this.style.cursor=hand; this.style.textDecoration=underline; this.style.borderBottom=dotted 1px;
}” href=”http://www.bemparana.com.br/index.php?n=53334&t=carga-tributaria-e-apontada-como-principal-vila-das-industrias#”>aumentar a produtividade e a competitividade da indústria paranaense”, ressaltou Schmitt. Uma grande ação nesse sentido foi dada com o lançamento do programa Educação para a Nova Indústria. No Paraná, o programa significa <a oncontextmenu="function anonymous()
{
return false;
}” onmouseover=”function anonymous()
{
hw845227020284(event, this, 576327518); this.style.cursor=hand; this.style.textDecoration=underline; this.style.borderBottom=solid;
}” style=”CURSOR: hand; COLOR: #ff6600; BORDER-BOTTOM: 1px dotted; TEXT-DECORATION: underline” onclick=”function anonymous()
{
hwClick845227020284(576327518);return false;
}” onmouseout=”function anonymous()
{
hideMaybe(event, this); this.style.cursor=hand; this.style.textDecoration=underline; this.style.borderBottom=dotted 1px;
}” href=”http://www.bemparana.com.br/index.php?n=53334&t=carga-tributaria-e-apontada-como-principal-vila-das-industrias#”>investimentos de R$ 1 bilhão na qualificação de 600 mil trabalhadores até 2010. E representa um incremento de matrículas nas áreas de formação básica e profissional do Sistema Fiep de 30%.

Abrir o chat
Precisa de ajuda?
Olá, como podemos lhe ajudar hoje?
%d blogueiros gostam disto: