Notícias


Captação da poupança cai 45% no semestre e tem pior resultado em três anos

Folha Online

EDUARDO CUCOLO
da Folha Online, em Brasília

Os depósitos na caderneta de poupança superaram os saques em R$ 2,45 bilhões no primeiro semestre de 2009, segundo dados do Banco Central. Apesar de o número ser positivo, trata-se do pior resultado em três anos.

O valor representa também uma queda de 45% em relação à captação (diferença entre saques e depósitos) registrada no primeiro semestre de 2008, quando a entrada de novos recursos na poupança somou R$ 4,43 bilhões.

No mesmo período de 2007, foram R$ 8,77 bilhões. Em 2006, o resultado ficou negativo.

Em 2009, os saques superaram os depósitos em três meses (janeiro, março e abril). Nos outros três, houve mais dinheiro entrando do que saindo.

Desde maio, quando o resultado ficou positivo em R$ 1,88 bilhão, a poupança registra recuperação. Em junho, a captação da poupança ficou positiva em R$ 2,09 bilhões. Somados, os resultados dos dois meses superam em 50% o registrado no mesmo período de 2008 e em 5% o verificado no primeiro semestre de 2007.

Imposto

Em maio, o governo anunciou que iria cobrar Imposto de Renda das aplicações na poupança acima de R$ 50 mil a partir de 2010, para evitar uma fuga de grandes investidores para esse tipo de investimento. Como esse movimento não se confirmou até agora, a medida ainda não foi enviada ao Congresso.

A poupança se tornou mais atrativa devido à redução na taxa básica de juros e já apresenta uma rentabilidade superior a de alguns fundos de investimento. Os mais afetados são aqueles que cobram taxa de administração acima de 1,5%.

Neste ano, a caderneta de poupança acumula um rendimento de 4,21%. Os fundos do tipo DI registraram retorno de 5,48% (sem descontar o IR, que varia de 22,5% a 15%). Os fundos de Renda Fixa tiveram rentabilidade de 5,65% antes do IR.